Porto Alegre, segunda-feira, 05 de julho de 2021.
Porto Alegre,
segunda-feira, 05 de julho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 16h08min, 05/07/2021.

Máquinas e equipamentos de emenda parlamentar começam a chegar nas escolas agrícolas

Equipamentos são provenientes de recurso de R$ 30 milhões da bancada federal gaúcha

Equipamentos são provenientes de recurso de R$ 30 milhões da bancada federal gaúcha


NESTOR TIPA Júnior/DIVULGAÇÃO/JC
As escolas agrícolas estaduais do Rio Grande do Sul vêm recebendo nos últimos dias vários equipamentos e implementos agrícolas que irão complementar o processo pedagógico destas instituições de ensino. A compra está sendo realizada pela Secretaria estadual da Educação com recursos provenientes de emenda parlamentar que destinou R$ 30 milhões para esta ação.
As escolas agrícolas estaduais do Rio Grande do Sul vêm recebendo nos últimos dias vários equipamentos e implementos agrícolas que irão complementar o processo pedagógico destas instituições de ensino. A compra está sendo realizada pela Secretaria estadual da Educação com recursos provenientes de emenda parlamentar que destinou R$ 30 milhões para esta ação.
O presidente da Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea), Fritz Roloff, destaca a importância da organização para a busca destes recursos com estratégias traçadas pela entidade e o Conselho de Diretores das Escolas Agrícolas Estaduais, com o apoio do coordenador da bancada gaúcha no Congresso Nacional, deputado Giovani Cherini (PL). “Por ser técnico agrícola, o parlamentar nos ajudou em um pleito que contempla as principais necessidades dessas escolas”, enfatiza.
Conforme Roloff, estão chegando às escolas tratores, camionetes, equipamentos em geral que vão desde energia solar até computadores, notebooks e centrais de multimídia. “Estes materiais vão ajudar a otimizar e relacionar melhor os conteúdos entre professores e alunos”, observa, colocando que durante esta pandemia foi preciso reaprender outra forma de comunicação e ficou provado que muita coisa não deixará mais de existir.
O dirigente afirma que o ensino remoto não é o ideal, mas pode fazer um papel de complementaridade, no sentido de que as informações chegam mais rápido e as inter- relações pessoais podem ser melhoradas. “A Agptea se sente orgulhosa de ter participado desse projeto e, hoje, vê as escolas agrícolas sendo contempladas com equipamentos que vão ser decisivos para implementar o processo pedagógico”, conclui.
Segundo o presidente do Sindicato dos Técnicos Agrícolas no Estado do Rio Grande do Sul (Sintargs), Luís André Sasso. A chegada das máquinas e implementos agrícolas nas escolas técnicas gaúchas vai fortalecer a qualificação profissional e valorizar o ensino técnico. 
As entregas dos tratores, por exemplo, estão sendo realizadas com um cronograma técnico para a utilização destes equipamentos. Para o dirigente, este é um momento muito importante para o ensino profissional no Rio Grande do Sul, em especial para as escolas técnicas agrícolas. “São 27 escolas com mais de 5 mil alunos que já estão recebendo equipamentos e implementos agrícolas que vêm a contribuir muito com a educação e a efetivação da valorização do nosso ensino profissional”, destaca.
Sasso lembra que outros equipamentos também serão entregues nos próximos meses para agregar às estruturas das escolas técnicas agrícolas. Estes, de acordo com o presidente do Sintargs, serão fundamentais para a formação dos futuros profissionais da categoria. “Nos sentimos felizes que todo um trabalho desenvolvido está sendo efetivado e que o objetivo maior é dar maior qualidade de ensino aos nossos alunos e fazer com que no futuro entre no mercado de trabalho um profissional qualificado e capacitado para atender este mercado exigente que é o da produção”, observa.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário