Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 01 de junho de 2018.
Dia da Imprensa.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

relações internacionais

01/06/2018 - 10h39min. Alterada em 01/06 às 11h57min

Trump receberá hoje enviado da Coreia do Norte para tratar de reunião

Agência Brasil
O braço-direito do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, visitará hoje (1º) o presidente Donald Trump, na Casa Branca, em Washington. Durante a visita, Kim Jon Chol deverá entregar uma carta do governo norte-coreano.
A informação foi repassada pelo secretário de Estado Mike Pompeo durante uma entrevista ontem (31), em Nova York. A carta endereçada a Trump teria sido escrita pelo próprio Kim Jong-Un.
Pompeo também declarou estar confiante de que ambos os países estão na direção correta. Ontem, ele se encontrou em Nova York com Kim Yong Chol, considerado o segundo homem na linha de comando norte-coreano, e ex-chefe de inteligência do país.
Estados Unidos e Coreia do Norte tentam acertar detalhes para realizar a cúpula histórica de alto nível, prevista para o dia 12 de junho, em Cingapura. Será a primeira reunião bilateral após seis décadas de hostilidades.
Na semana passada, Trump divulgou uma carta endereçada a Kim Jong Un, em que cancelava a reunião, após um momento de tensão no diálogo. Mas, no dia seguinte, ele afirmou que as conversações já estavam em um nível melhor e que o encontro poderia acontecer.
Ontem, Trump comentou as conversações entre Washington e Pyongyang. "Estamos indo muito bem com a Coreia do Norte", afirmou. Adiantou ainda que poderia haver uma segunda e uma terceira reunião antes de um acordo sobre a desnuclearização norte-coreana.
Kim Yong Chol é a mais alta autoridade norte-coreana a visitar os Estados Unidos em 18 anos e sua viagem é altamente simbólica para aliviar as tensões, depois que os temores de uma guerra em meio a testes nucleares aumentaram.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia