Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

01/06/2018 - 11h59min. Alterada em 01/06 às 11h59min

Juros futuros reduzem queda após demissão de Parente

O pedido de demissão de Pedro Parente da Petrobras nesta sexta-feira, dia 1º, pesou no mercado futuro de juros. As taxas, em baixa com leilão extraordinário do Tesouro, reduziram a queda após a divulgação da informação, por volta das 11h30.
O pedido de demissão de Pedro Parente da Petrobras nesta sexta-feira, dia 1º, pesou no mercado futuro de juros. As taxas, em baixa com leilão extraordinário do Tesouro, reduziram a queda após a divulgação da informação, por volta das 11h30.
Segundo fontes, a notícia amplia a preocupação com enfraquecimento do governo Temer e risco político. "Além de risco de mais heterodoxia", disse um profissional. Às 11h31, o DI para janeiro de 2021 apontava 8,86%, perto do ajuste anterior de 8,89%.
Antes da notícia, juros futuros renovaram por volta das 11h desta sexta, mínimas da sessão. Segundo profissionais, as taxas refletiam o anúncio do Tesouro, na última quarta-feira (30), de que continuará realizando leilões de recompra de Notas do Tesouro Nacional - Série F (NTN-F) para 2025, 2027 e 2029 hoje e na próxima semana.
Contava ainda, o fato de o órgão ter antecipado a divulgação da portaria com o lote a ser ofertado nesta sexta-feira contribuiu para dar previsibilidade ao mercado.
As taxas também estavam influenciadas em baixa pela piora de perspectiva para o crescimento da atividade econômica. Às 10h56, o DI para janeiro de 2021 apontava 8,74%, de 8,72% na mínima e 8,89% no ajuste de quarta-feira.