Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 31 de maio de 2018.
Corpus Christi. Dia Mundial de Combate ao Fumo.

Jornal do Comércio

Política

CORRIGIR

reestruturação do estado

Notícia da edição impressa de 01/06/2018. Alterada em 31/05 às 22h06min

Governo encerra atividades da Fundação Piratini e da Cientec

Servidores da TVE e da FM Cultura foram dispensados até sexta-feira

Servidores da TVE e da FM Cultura foram dispensados até sexta-feira


/FREDY VIEIRA/JC
Foi publicado, no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, o decreto que encerra as atividades da Fundação Piratini e da Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec). A medida ocorre após liminar do Tribunal de Justiça que derrubou a decisão cautelar do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que impedia o avanço do processo.
De acordo com nota divulgada pelo Estado, a partir desta sexta-feira, todos os 165 funcionários da TVE e da FM Cultura, emissoras mantidas pela Fundação Piratini, serão transferidos para quadro especial da Secretaria de Comunicação (Secom). Já os funcionários da Cientec irão para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sdect), que sucederá o órgão.
Na Fundação Piratini, 53 servidores já haviam sido demitidos. Nesta terça-feira, outros seis servidores foram desligados, e 19 cargos em comissão (CCs), exonerados - sendo três diretores. Apenas três CCs permanecem na instituição: o presidente Orestes de Andrade Júnior; o diretor-geral, Thomaz Schuch; e a assessora jurídica, Maria Cícera Nascimento.
A programação da TVE foi suspensa nesta quarta-feira e passou a transmitir o sinal da TV Brasil. Antes do decreto, os funcionários já haviam sido liberados do trabalho até esta sexta-feira pela direção da Fundação Piratini, que alegou como motivo para o feriadão a greve dos caminhoneiros e o desabastecimento de gasolina.
Os funcionários das emissoras receberam a notícia com indignação e afirmaram que, mesmo com as dificuldades de transporte, estavam comparecendo normalmente ao trabalho.
A extinção da Fundação Piratini faz parte do programa de reestruturação do Estado e foi aprovada pela Assembleia Legislativa em dezembro de 2016. Outras cinco fundações também tiveram a extinção autorizada, como a Fundação de Economia e Estatística (FEE) e a Fundação Zoobotânica (FZB).
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia