Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 17 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

17/05/2018 - 22h31min. Alterada em 17/05 às 22h32min

Isolamento real

Leci Maria Soriano Bobsin Corrêa
Não há como negar os benefícios que a era virtual nos trouxe, como facilidade nas comunicações, rapidez nas informações e aproximação das relações sociais. Porém esta grande revolução tecnológica via internet possui ainda um mundo paralelo. No ambiente virtual, não precisamos lidar, por exemplo, com situações de humilhações, afrontas, decepções e desilusões. Como diria o sociólogo e filósofo Zygmunt Bauman, basta digitar a tecla "delete" e pronto, acabou. Ao evitarmos as relações no ambiente físico, perdemos de aprender sobre os nossos limites através da interação com o outro e de como lidarmos com situações negativas e de difícil confronto, nos protegendo em um mundo distante e, muitas vezes, hostil.
Pessoas introvertidas que receiam o contato físico, seja por baixa estima, ou por se considerarem "diferentes", temendo que sejam julgadas ou reprovadas pelo outro, buscam no ambiente virtual aprovação, aceitação. Os riscos de humilhação e constrangimento são menores, e as pessoas envolvidas se empoderam e se permitem falar de forma mais assertiva, que não conseguiriam face a face. O fato é que o que enriquece as relações sociais são exatamente as diferenças. Precisamos entender que todos temos pontos fortes e fracos; em alguns aspectos, somos superiores em relação ao outro, e em outros, inferiores, e essa conta sempre chegará no final equilibrada. Um caminho a ser seguido para aqueles que evitam os relacionamentos no ambiente físico, em prol do isolamento real, é o fortalecimento da autoestima através do autoconhecimento.
Muitas vezes, não é possível conseguir isso sozinho, precisando do auxílio de profissionais especializados, como psicólogos e/ou psiquiatras. O grande enigma das relações sociais dessa era está no uso que fazemos dos aparelhos digitais. Quantas vezes vemos pessoas reunidas em uma mesa e cada um em silêncio manuseando o seu smartphone? Essas pessoas estão próximas fisicamente, porém isoladas afetivamente. Vamos utilizar os aparelhos dessa nova revolução tecnológica para nos aproximar e não nos afastar. Assim, estaremos sendo beneficiados, mais uma vez, pela era virtual.
Psicóloga clínica e professora universitária
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia