Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações internacionais

10/05/2018 - 12h55min. Alterada em 10/05 às 12h58min

Trump irá se reunir com a Coreia do Norte em junho em Cingapura

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a reunião "bastante antecipada" entre ele e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, ocorrerá em Cingapura em 12 de junho. "Nós iremos ambos tentar fazer dele um momento muito especial para a Paz Mundial", escreveu Trump em sua conta oficial no Twitter.
O presidente americano tenta fazer com que o regime de Pyongyang desista de seu programa nuclear e de mísseis. Nesta semana, a Coreia do Norte libertou três americanos detidos, que foram recebidos em solo americano por Trump. O líder dos EUA qualificou a libertação como um sinal positivo, mas tem insistido na necessidade de que não existam armas nucleares na Península Coreana.
Em abril, Kim Jong-un teve um encontro histórico com o presidente sul-coreano Moon Jae-in. Eles firmaram um acordo de paz e um compromisso mútuo de colocar fim às inimizades entre os países, que prevalecia desde o cessar-fogo da guerra entre os dois países, em 1953. A reaproximação entre os dois países e a aproximação com os Estados Unidos ocorrem depois de várias sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas, além da pressão da China sobre a Coreia do Norte. O país é um importante aliado dos norte-coreanos e tem grande influência na economia local.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia