Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de maio de 2018.
Dia Nacional do Café.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Greve

Alterada em 24/05 às 20h37min

EUA pedem para quem viajar ao Brasil estocar água e itens domésticos

Agência Brasil
Os impactos da paralisação dos caminhoneiros nas rodovias brasileiras chegaram aos Estados Unidos. O Departamento de Estado norte-americano emitiu hoje (24) um alerta de segurança em que recomenda a quem viajar para o Brasil estocar água e itens de uso domésticos. A nota também recomenda, entre outras ações, que viajantes chequem as condições de trânsito antes de viajar, contatem empresas aéreas para confirmar voos e revisem seus planos pessoais de segurança. 
Equivalente ao Ministério das Relações Exteriores no Brasil, o Departamento de Estado dos Estados Unidos, usou o Twitter para transmitir a mensagem: "(Viajantes) considerem adotar medidas para garantir estoque adequado de itens para uso doméstico e água e conservar combustível para veículos nesse período".
O comunicado diz que a greve dos caminhoneiros está interrompendo a distribuição normal de combustível e de bens em todo o país e destaca que cidades do interior do Brasil, em locais mais distantes de refinarias e de centros de distribuição de comida, devem sofrer mais impacto do que outras. "Uma vez resolvida a paralisação), pode demorar algum tempo para que os suprimentos retornem a níveis normais especialmente em cidades mais distantes de centros de distribuição de comida e de combustível", diz o texto.
O departamento também cita que o governo do Brasil está mantendo reuniões com os caminhoneiros para solucionar o impasse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia