Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 03 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança Pública

03/05/2018 - 14h04min. Alterada em 03/05 às 14h08min

Policiais gaúchos paralisam serviços em protesto por morte de colega

Pela manhã, a categoria se reuniu no Palácio da Polícia e depois seguiu em sirenaço até Guaíba

Pela manhã, a categoria se reuniu no Palácio da Polícia e depois seguiu em sirenaço até Guaíba


FABIO CASTRO/UGEIRM/DIVULGAÇÃO/JC
Policiais civis paralisam serviços em delegacias nesta quinta-feira (3) em protesto pela morte do policial civil Leandro de Oliveira Lopes durante cumprimento de mandado de prisão nessa quarta-feira (2). No começo da manhã, a categoria, além de integrantes da Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF)  em Porto Alegre a na Região Metropolitana se reuniu em frente ao Palácio da Polícia, na Capital, e seguiu em viaturas para participar do enterro do policial, que ocorreu no Cemitério municipal de Guaíba.
No trajeto, foi realizado um sirenaço. No sepultamento, houve uma ação simbólica de sirenaço geral em todo o Estado, informou o Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores do Rio Grande do Sul (Ugeirm). Segundo o presidente do sindicato, Isaac Ortiz, as unidades da Polícia Civil mantêm apenas o atendimento de casos graves, como latrocínio ou homicídio. 
Leandro de Oliveira Lopes era inspetor de polícia e trabalhava na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Canoas. Ele morreu na madrugada dessa quarta, baleado enquanto participava do cumprimento de um mandado de prisão em Pareci Novo, perto de São Sebastião do Caí. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia