Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de maio de 2018.
Dia da Saúde.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

28/05/2018 - 09h15min. Alterada em 28/05 às 09h19min

Confiança da indústria sobe 0,1 ponto em maio, para 101,1 pontos, revela FGV

Analista diz que resultado de maio reforça a tendência de perda de fôlego da indústria

Analista diz que resultado de maio reforça a tendência de perda de fôlego da indústria


CLAITON DORNELLES /JC
A confiança da indústria subiu 0,1 ponto em maio de 2018, para 101,1 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas nesta segunda-feira (28). Apesar da ligeira alta, a coordenadora da pesquisa na FGV, Tabi Thuler Santos, afirma que o resultado de maio reforça a tendência de perda de fôlego da indústria observada em abril, quando a confiança recuou 0,7 ponto.
"O resultado reflete em boa medida a piora das expectativas em relação ao desempenho da economia brasileira em 2018, motivada pelo aumento de riscos no mercado externo e pelo elevado nível de incerteza econômica e política", avalia. Ambos os indicadores, o de Situação Atual (ISA) e o de Expectativas (IE), avançaram 0,1 ponto no mês. O ISA alcançou 100,6 pontos e o IE chegou a 101,6 pontos. A alta também atingiu 10 dos 19 segmentos industriais.
O aumento do ISA foi influenciado pela melhora na percepção sobre a situação dos negócios, que subiu 1,2 ponto, para 97,2 pontos, mas contou ainda com melhores avaliações sobre a demanda e redução de empresas com estoques insuficientes.
No IE, a evolução do pessoal ocupado nos três meses seguintes avançou 2,4 pontos, para 101,1 pontos e foi o único componente a registrar melhora no mês. Houve elevação na proporção de empresas prevendo aumento do quadro de pessoal, de 18,6% para 21,9%, e diminuição da proporção das que esperam redução, de 11,5% para 11,1% do total.
Após três altas consecutivas, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) manteve-se estável em 76,5%, que, por sua vez, é o maior nível desde maio de 2015 (76,6%). A edição de maio de 2018 coletou informações de 1.065 empresas entre os dias 2 e 23 deste mês. A próxima divulgação da Sondagem da Indústria ocorrerá em 29 de junho e a prévia será anunciada no dia 21 de junho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia