Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 15/05/2018. Alterada em 14/05 às 22h51min

Tesouro lança edital para gestor de novo fundo de índice de renda fixa

O Tesouro Nacional lançou ontem o edital para seleção do gestor do Fundo de Índice de Renda Fixa apoiado pelo emissor, chamado ID ETF - Issuer-Driven Exchange Traded Fund, na sigla em inglês. O produto é desenvolvido em conjunto com o Banco Mundial, para fomentar o desenvolvimento do mercado de capitais em economias emergentes. O Brasil é pioneiro no projeto.
O novo fundo se diferencia dos ETFs tradicionais de renda fixa, pois o Tesouro emitirá a cesta de títulos que irá compor a carteira dos fundos de índice no momento de sua criação em igual proporção àqueles que integram o índice de referência. Isso deve reduzir os custos operacionais do fundo, permitindo a cobrança de uma taxa de administração menor.
O futuro ID ETF deverá ser referenciado no índice Anbima de títulos públicos indexados ao IPCA (IMA-B) e ser lançado em até 18 meses após a escolha do gestor, por meio de ampla oferta pública, com valor mínimo de R$ 300 milhões. As cotas do fundo serão negociadas na Bolsa de Valores.
"De acordo com o Banco Mundial, consultas com o mercado indicam que um ETF viável necessita atingir um tamanho mínimo aproximado de US$ 50 milhões a US$ 100 milhões, dependendo do projeto, e, no caso do ID ETF, é esperado que cada fundo alcance ao menos US$ 200 milhões de patrimônio sob gestão depois de 2 anos de operação", detalhou o Tesouro.
Nos primeiros dois anos após o lançamento do fundo (24 meses), o Tesouro poderá realizar emissões adicionais da cesta de títulos ao ID ETF, sempre superiores R$ 300 milhões cada uma, e não podendo ultrapassar o valor de R$ 2 bilhões no total. Além disso, o órgão garante ao gestor do fundo a exclusividade de apoio neste tipo de instrumento por 36 meses.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia