Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 07 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria Automotiva

Notícia da edição impressa de 08/05/2018. Alterada em 07/05 às 21h51min

Marcopolo tem melhor resultado para um início de ano desde 2013

Roberto Hunoff, de Caxias do Sul
A Marcopolo alcançou, no primeiro trimestre de 2018, o seu melhor desempenho operacional desde 2013 em comparação com o mesmo período de anos anteriores. A empresa registrou receita líquida consolidada de R$ 764,8 milhões e lucro líquido consolidado de R$ 30,9 milhões, contra receita de R$ 554,6 milhões (crescimento de 37,9%) e lucro de R$ 3,2 milhões do mesmo período do primeiro trimestre de 2017.
O crescimento da receita líquida consolidada é reflexo do faturamento no mercado doméstico e de exportações, que apresentaram, respectivamente, altas de 122,7% e 39,6%, em valores, quando comparados com o primeiro trimestre do ano anterior. A receita no mercado interno alcançou R$ 333,6 milhões, ou 43,6% do total, e as exportações e os negócios no exterior totalizaram R$ 431,2 milhões.
De acordo com o diretor-geral da Marcopolo, Francisco Gomes Neto, os resultados reforçam a expectativa de recuperação consistente do mercado brasileiro de ônibus para este ano, com o volume de produção crescente em todos os segmentos. "Ampliamos em 76,7% a produção nas nossas fábricas brasileiras em relação ao ano anterior, mais do que o crescimento registrado pelo mercado nacional, que foi de 59,4%." A empresa fechou o trimestre com participação de 53,7% na produção brasileira de carrocerias contra 46,8% no primeiro trimestre do ano passado e cresceu 25,8 pontos percentuais no segmento de urbanos na mesma base de comparação.
No mercado doméstico, as receitas da Marcopolo nos segmentos de rodoviários e urbanos cresceram, respectivamente, 294,3% e 123,1% em comparação ao mesmo período do ano anterior. O setor de rodoviários continua aquecido, especialmente pelos veículos para fretamento e em linhas interestaduais, e pela vigência da norma que prevê a redução da idade média da frota de ônibus voltados ao transporte interestadual e internacional para seis anos em 2018.
Em urbanos, o destaque é a recuperação expressiva de volumes, com crescimento de 101,9% na produção brasileira. No trimestre, a Marcopolo conquistou a liderança deste segmento, com 51% de participação de mercado. O desempenho decorre do maior volume de unidades produzidas para exportação, que cresceram 1.239,3% em relação ao primeiro trimestre de 2017, e da maior renovação de frota no mercado interno.
As exportações continuam fortes, com aumento de 46,3% no volume de unidades em comparação com o primeiro trimestre de 2017. Em relação às operações no exterior, o destaque foi a alta de 11% em unidades produzidas na Austrália.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia