Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Indústria

02/05/2018 - 10h51min. Alterada em 02/05 às 10h54min

Faturamento real da indústria cai 2,5% em março ante fevereiro, diz CNI

Além do menor faturamento, houve redução na quantidade de horas trabalhadas no setor

Além do menor faturamento, houve redução na quantidade de horas trabalhadas no setor


MARCOS NALGESTEIN/ARQUIVO/JC
Após dois meses consecutivos de crescimento, o faturamento industrial voltou a cair em março, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (2) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na comparação com o mês anterior - e excluindo os efeitos de calendário -, as vendas das fábricas brasileiras caíram 2,5% no terceiro mês deste ano.
Após dois meses consecutivos de crescimento, o faturamento industrial voltou a cair em março, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (2) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Na comparação com o mês anterior - e excluindo os efeitos de calendário -, as vendas das fábricas brasileiras caíram 2,5% no terceiro mês deste ano.
Ainda assim, o volume faturado em março pelo setor foi 1,6% superior ao registrado no mesmo mês de 2017. Considerando as vendas de janeiro a março de 2018, o desempenho foi 6,2% superior ao do mesmo período do ano passado.
"A pesquisa evidencia que a indústria segue enfrentando dificuldades e que sua recuperação continua lenta. Março costuma ser um mês de atividade industrial mais forte, na comparação com o primeiro bimestre", considerou a CNI, no documento.
Além do menor faturamento, houve redução na quantidade de horas trabalhadas na indústria em março, com queda de 0,9% em relação a fevereiro. Essa foi o segundo mês consecutivo de recuo no indicador.
Em relação a março de 2017, houve um declínio de 0,7% nas horas trabalhadas. Mas, no acumulado de 2018 até março, o tempo de trabalho na produção foi 0,5% maior que o verificado no primeiro trimestre do ano passado.
Em março, a Utilização da Capacidade Instalada (UCI) no parque industrial brasileiro evoluiu 0,2 ponto porcentual, passando de 78,0% para 78,2% (de acordo com dado ajustado). Em março de 2017, a UCI estava em 77,0%.