Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Música

Alterada em 02/05 às 17h53min

Cachorro Grande demite Marcelo Gross, membro fundador e guitarrista da banda

Gross disse lamentar a situação: 'A Cachorro Grande sempre foi minha vida', afirmou

Gross disse lamentar a situação: 'A Cachorro Grande sempre foi minha vida', afirmou


Facebook Cachorro Grande/Reprodução
Folhapress
A banda Cachorro Grande demitiu o guitarrista Marcelo Gross, membro fundador do grupo que completa 19 anos de estrada em 2018. A banda anunciou a demissão nesta quarta-feira (2). O músico compôs hits como Sinceramente, Hey Amigo e Lunático.
Segundo o vocalista e também fundador da banda, Beto Bruno, o processo de ruptura foi gradativo. "Já faz alguns anos que sentimos um certo afastamento dele a respeito do processo criativo da banda. No fundo, estou muito triste com essa situação toda. Mas ao mesmo tempo aliviado por não ter que brigar e discutir mais sobre assuntos que foram sendo protelados com o passar dos anos."
Ele ressaltou que a distância do guitarrista no processo de composição dos dois últimos discos, Costa do Marfim (2014) e Electromod (2016), foi peça-chave para que a decisão conjunta fosse tomada. Para Bruno, o convívio com o guitarrista foi se desgastando com os anos. "O que era pra ser o emprego mais legal do mundo, essa coisa de tocar em uma banda de rock e estar na estrada todo fim de semana, se tornou pesado e cansativo".
Perguntado sobre se os excessos na estrada ao longo dos anos teriam piorado a situação, o vocalista rebate: "Conforme envelhecemos, estamos nos preservando cada vez mais. E essas histórias do passado não têm a ver com a decisão tomada. A loucura da estrada não atrapalhou. Tivemos momentos maravilhosos juntos, como a abertura do show dos Rolling Stones, por exemplo".
Visivelmente emocionado, Beto ainda afirma: "Ele é um músico fantástico, um dos melhores guitarristas que conheço. E vai ficar bem, com certeza. Ele é como se fosse um irmão para mim, ficou próximo de mim como ninguém nestes últimos anos. Cada dia que acordo é como se um pedaço de mim e da banda tivesse ido embora, mas no fundo foi necessário".
Para o lugar do músico, a banda convocou o guitarrista Gustavo X, que trabalha como roadie de guitarras no circuito de rock e é próximo do grupo. "Neste primeiro momento, o Gustavo será o substituto do Gross. Ele foi a primeira opção por já ter uma certa ligação conosco. Nos conhecemos há anos", diz Bruno.
Procurado pela reportagem, o guitarrista Marcelo Gross disse lamentar a situação, mas enxerga o momento com cautela. "Pode ser um período ruim, mas quem sabe um dia possamos voltar a tocar juntos. A Cachorro Grande sempre foi minha vida", diz.
Abanda gaúcha segue em turnê nacional com a divulgação do seu primeiro disco ao vivo, intitulado Clássicos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia