Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 20 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

Gastronomia

Notícia da edição impressa de 18/05/2018. Alterada em 20/05 às 12h11min

Em breve, melhor ainda

CPM /DIVULGAÇÃO/JC
A grande notícia do almoço foi descobrir que o Hashi deverá reabrir em julho, no andar superior. A boa notícia é que, por enquanto, podemos apreciar a arte de Carlos Kristensen no andar térreo, espaço que oportunamente divide com a loja da Gran Cru, com a variedade de rótulos que se pode imaginar - e certamente degustar durante a refeição, em caso de não optar por um cálice do vinho do dia, em torno de R$ 12,00.
Nessa versão mais enxuta de restaurante, chamada de UM Bar&Cozinha, o renomado chef não abre mão de sua filosofia culinária: em tudo há indícios de ingredientes locais, que ele garimpa pelo Rio Grande. Nosso almoço, em uma sexta-feira ensolarada, começou por completa desatenção das atendentes: levaram não menos do que 10 minutos - e uma reclamação à recepcionista - para cessarem sua conversa e darem atenção à nossa mesa. Depois disso o atendimento fluiu rápida e educadamente.
Funciona com sugestão única de almoço durante a semana, que nesse dia tinha pão e manteiga com alho no couvert, uma preciosa saladinha de folhas e brotos com pesto de urtiga, um assado de tira escoltado por feijão mexido, aipim frito, tomatinhos e essa couve verdejante, fininha, compondo uma porção exata e deliciosa para apetites moderados ( R$ 39,90). A sobremesa era essa tortinha de goiaba da foto acima(R$ 6,00), e ainda há um menu adicional para quem preferir pedir a la carte.
À noite são três sugestões, periodicamente variadas, com preços correspondentes à maior sofisticação. Aos sábados, tem feijoada (R$ 48,00) a partir de meio-dia.

O frio agita a Serra Gaúcha


CRISTIANO CARNIEL/DIVULGAÇÃO/JC
Neste domingo, a partir das 11h, tem brunch no Magnólia com duas mesas para autosserviço (foto) e porções que chegam quentinhas, além de sucos, café, chá e espumante. Custa R$ 92,00 por pessoa, crianças pagam menos. Rua Dona Carlinda, 255, Centro de Canela. Reservas: (54) 3278-0102.
Definido: Clarice Chwartzmann será a responsável pelo braseiro na segunda edição de Ô Churras, dia 23 de junho, das 11h às 20h, na Caza Wilfrido, em Gramado. Ano passado duas toneladas de carne foram degustadas.
Por falar na Caza Wilfrido, ela será sede da Festejar Gramado, sábado e domingo, 26 e 27 de maio. Além de boa gastronomia, palestras e shows, a feira reúne 90 expositores em espaços temáticos. Em www.festejargramado.com.br.
MATEUS WAGNER/DIVULGAÇÃO/JC
Outro lugar diferenciado em Canela é o Espaço 273, misto de loja, espaço cultural e bistrô. Este é o Noon Gastrô, funciona de quartas-feiras a sábados, das 11h30min às 22h30min. O foco é gastronomia saudável: nada frito, produtos frescos, almoço com sugestão diária e serviço a la carte o tempo todo. Rua Tenente Manoel Correa, 273.

Sobre restaurantes e filas de espera


ARQUIVO PESSOAL CPM/DIVULGAÇÃO/JC
Soube de quem tivesse penado longo tempo em fila de espera frente a restaurantes, no domingo passado. Nós, não: reserva feita no Germânia, onde o salão principal era privativo dos associados, fomos conduzidos ao andar superior, com dezenas de animadas e bem frequentadas mesas. Não faltava nada: amplas ilhas de entradas, de pratos principais, de pescados, de assados, de acompanhamentos e, claro, sobremesas, no qual reinava o irresistível rocambole de laranja da casa.
De uma de minhas incursões aos bufês resultou essa foto: no alto, filé de tilápia crocante em alho confit; em sentido horário, purê de mandioquinha, pastelão de siri e creme de espinafre. Provamos dezenas de outras iguarias, cada uma a seu tempo: peras assadas ao espumante, salada de bacalhau, rosbife, quiche lorraine, pato ao molho de laranja, paleta de cordeiro em crosta de tapioca são algumas que faço questão de lembrar. Quase todas se revezam nos concorridos bufês de outros domingos, que custam pouco mais da metade dos justos R$ 140,00 ( 10%) que pagamos por pessoa.
Escrevi justos porque considero uma prova de fogo superar a demanda dessa data, em que todo o mundo parece ter tido a mesma ideia - almoçar fora - nem sempre com a prudência de garantir lugares. Existe até quem não desgoste de bebericar e conversar na fila, há restaurantes que conseguem tornar menos entediante a demora, mas esperar, definitivamente, não é comigo - prefiro almoçar em casa.
A equipe do Germânia, sob o comando de chef Lúcio, uma vez mais provou que se trata de um lugar confiável em qualquer situação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia