Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Notícia da edição impressa de 03/04/2018. Alterada em 02/04 às 22h33min

Fortunati se filia ao PSB para disputar Senado

Fortunati anunciou filiação em ato na sede estadual do partido em Porto Alegre

Fortunati anunciou filiação em ato na sede estadual do partido em Porto Alegre


PSB/DIVULGAÇÃO/JC
Lívia Araújo
O ex-prefeito de Porto Alegre José Fortunati confirmou ontem sua filiação ao PSB, em um ato interno na sede estadual do partido. A ficha de filiação possivelmente será assinada amanhã, em reunião da executiva da legenda.
Com isso, a condição que o PSB coloca antecipadamente para a celebração de alianças é a candidatura dupla da sigla ao Senado, representada por Fortunati e por Beto Albuquerque. De acordo com o ex-prefeito, apesar da demora na definição - Fortunati se desligou do PDT em novembro de 2017 -, a entrada no PSB confirma aquela que já era sua primeira opção de partido. "Já naquela época, eu me sentei com o Beto Albuquerque, mas como eu só concorreria se fosse ao Senado, e ele confirmou que também seria candidato, então decidi não me filiar ao PSB", relembra.
As conversações só voltaram a acontecer quando Beto levantou a possibilidade de ser pré-candidato de seu partido à presidência da República. Mesmo voltando atrás, a determinação do PSB em negociar com essa candidatura dupla ao Senado proporcionou a entrada de Fortunati no partido. Como o PSB está à beira de uma definição sobre quem apoiará ao Piratini em outubro, Fortunati deixou claro que, "como militante, vou acatar integralmente a decisão do coletivo. Quero ajudar a construir o partido e a proposta", disse.
Além da permanência do governo de José Ivo Sartori (PMDB), de cuja base não chegou a sair, as possibilidades mais concretas de apoio são ao tucano Eduardo Leite ou ao pedetista Jairo Jorge, o que obrigaria Fortunati a se aliar com a sigla que deixou no ano passado, diante inclusive da indefinição de o PDT lançá-lo ao Senado.
O presidente do PSB no Estado, o deputado federal José Stédile comemorou a filiação, dizendo que sua presença faz "crescer o partido". "Isso fortalece, e não enfraquece, a candidatura de Beto Albuquerque ao Senado", disse, ao defender que ambos concorram juntos a senador pelo partido. "Não vemos nenhuma das alianças com nomes melhores do que eles. Nós não teríamos como exigir que houvesse dois (candidatos ao Senado) em uma aliança se os nomes fossem fracos", pontuou.
O PSB é o terceiro partido de Fortunati. Quadro do PT com mais de duas décadas de atuação, foi deputado estadual constituinte, deputado federal e vice-prefeito de Porto Alegre na gestão de Raul Pont (PT, 1997-2000). No PDT, Fortunati se filiou no final de setembro de 2001, tendo sua ficha abonada por Leonel Brizola. Depois de, já no ano seguinte, concorrer ao governo do Estado pela sigla, Fortunati disputou a prefeitura de Porto Alegre como vice na chapa de José Fogaça (PMDB). Eleito, foi vice-prefeito até 2010, quando Fogaça renunciou para disputar o Piratini. Fortunati assumiu o Paço Municipal e se reelegeu em 1º turno na disputa pela prefeitura em 2012.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia