Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

paraguai

Alterada em 23/04 às 08h27min

Mario Benitez vence eleição no Paraguai e promete país sem divisões

Em seu primeiro discurso, ele reiterou a campanha de combater a corrupção e de uma nova era de união

Em seu primeiro discurso, ele reiterou a campanha de combater a corrupção e de uma nova era de união


NORBERTO DUARTE/AFP PHOTO/JC
Agência Brasil
O Paraguai tem um novo presidente: o candidato governista Mario Abdo Benitez, de 46 anos, foi eleito no domingo (22), assegurando a continuidade do Partido Colorado, no poder ha sete décadas. No primeiro discurso como presidente-eleito ele reiterou a promessa de campanha, de combater a corrupção e prometeu uma nova era de união, sem divisões estéreis.
Os resultados finais da eleição serão divulgados nesta segunda-feira (23), mas no domingo à noite, simpatizantes do Partido Colorado foram às ruas com suas bandeiras vermelhas para comemorar mais uma vitória. Desde 1947, todos os presidentes (salvo um) foram colorados - inclusive o ex-ditador Alfredo Stroessner, que governou o pais durante 35 anos e de quem o pai de Mario Abdo foi secretário particular.
"Não posso deixar de lembrar meu pai, que foi um grande colorado", disse Mario Abdo, ao comemorar a eleição. Ele estava na frente dos outros nove candidatos à presidência. Com 96% das urnas apuradas, Abdo tinha assegurado 46,65% dos votos. Seu principal rival, Efraim Alegre, do Partido Liberal, tinha 42,73%.
A vitória foi apertada, comparada com as pesquisas de opinião, que previam uma diferença de 20% (e não 10%) entre Abdo e Alegre. Mas no final da noite, a Justiça Eleitoral paraguaia disse que a tendência, favorável ao candidato governista, já era considerada irreversível.
"O povo votou pela unidade do Paraguai, não pela divisão do Paraguai. Hoje me comprometo a ser um fator de união no futuro do Paraguai", disse Abdo. Ele promete continuar a politica de incentivos fiscais do atual presidente Horácio Cartes, que ajudou a atrair investimentos e empresas estrangeiras muitas delas do Brasil. Nos últimos cinco anos, a economia paraguaia cresceu em media 6%. O desafio vai ser combater a pobreza, que atinge um terço da população.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia