Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

Alterada em 24/04 às 12h19min

Planejamento lança painel de obras com informações sobre andamento de projetos

O Ministério do Planejamento lançou nesta terça-feira (24) o "Painel de obras" com informações sobre o andamento de projetos do Programa Avançar, do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasses (Siconv).
No total, estão listadas 98.499 obras, que representam investimentos de R$ 1,23 trilhão desde 1998. O PAC responde por R$ 818 bilhões, repartidos em 27.647 obras. Já o Avançar tem 7.558 iniciativas, no valor de R$ 357,24 bilhões. O Siconv reúne R$ 52,06 bilhões referentes a 63.294 ações.
No painel é possível consultar os contratos de cada empreendimento, com filtros por ano, localidade e órgão. Até o fim de 2018, devem ser incorporadas também as informações sobre as obras com recursos Fundo a Fundo.
Do total já listado, 36,25% das obras estão concluídas, 5,29% estão em prestação de contas, 7,96% foram canceladas, 6,25% estão em ação preparatória e 43,99% estão em execução.
Entre as 43.293 obras em execução, são 28.935 do Siconv (R$ 27.99 bilhões), 8.379 do PAC (R$ 485,94 bilhões) e 5.979 do Avançar (R$ 334,44 bilhões).
O Avançar foi criado no governo Temer para retomar 7 mil obras que estavam paralisadas ou em ritmo muito lento. De acordo com o Planejamento, 19,3% dos projetos foram concluídos até o fim do ano passado. Do restante em andamento, quase a metade (45,5%) já têm mais de 80% de execução.
As informações podem ser acessadas aqui
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia