Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 06 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Assistência social

Notícia da edição impressa de 07/05/2018. Alterada em 06/05 às 23h11min

Albergues de Porto Alegre terão 90 vagas extras durante o inverno

Reforço planejado para o período inclui 30 vagas no Albergue Municipal, que passará a contar com 150

Reforço planejado para o período inclui 30 vagas no Albergue Municipal, que passará a contar com 150


/MARIANA CARLESSO/JC
Igor Natusch
No momento, as estimativas tanto da prefeitura de Porto Alegre quanto de entidades ligadas à assistência social apontam em torno de 4 mil pessoas morando nas ruas da Capital. Para enfrentar esse cenário, o município lançou, na quinta-feira, o Plano Municipal de Superação da Situação de Rua, que prevê ampliação de serviços para dependentes químicos e a oferta de 1,5 mil vagas para moradia. Porém uma situação que gera especial preocupação é a chegada dos meses frios, que aumentam a demanda em abrigos e albergues do município. Apesar da maior quantidade de pessoas em situação precária, e das contenções de gastos promovidas pelo governo municipal, o aumento no atendimento à população de rua será o mesmo oferecido em anos anteriores, com 90 novas vagas disponibilizadas entre junho e setembro.
De acordo com Vanessa Mendes Baldini, coordenadora de Proteção Social Especial da Fundação de Atendimento (Fasc), 60 das vagas extras serão ofertadas no Albergue Felipe Diehl e outras 30, no Albergue Municipal. Com isso, a capacidade de ambos é ampliada para 205 e 150 vagas, respectivamente - mesmos números oferecidos na Operação Inverno do ano passado. Somados aos 90 lugares disponibilizados no albergue conveniado Dias da Cruz, a capacidade de acolhimento durante os dias mais frios passa a ser de 445 vagas.
O reforço refere-se apenas a vagas masculinas, sem acréscimos para atender à população feminina. Segundo a representante da Fasc, não há necessidade de ampliar os lugares para mulheres, uma vez que a demanda é inferior à oferta de vagas durante todo o ano. "O aumento na população de rua feminina não refletiu em uma maior procura nos albergues", explica Vanessa.
Para dar conta do aumento da procura no Albergue Municipal, e uma vez que não há previsão de contratação de novos funcionários, a estratégia da Fasc é oferecer um incremento nas horas extras, de forma a tornar a opção atrativa para os monitores. No Felipe Diehl, o aditivo deve ser garantido pela mantenedora, a Irmandade Nossa Senhora dos Navegantes.
O aumento da população de rua registrado na Capital não deve resultar em falta de lugares, diz a coordenadora. Segundo ela, a demanda do ano passado já serviu de parâmetro, e deu à Fasc a certeza de que o acréscimo atual é suficiente. "Muitos não têm interesse nos albergues, ou querem sair mais cedo para procurar bicos e coisas assim. Se não aumentássemos as vagas, certamente faltaria, mas o aumento previsto deve ser suficiente", argumenta.
A albergagem fica disponível das 19h às 7h e oferece banho, alimentação e um lugar para dormir. Também está disponível aos frequentadores encaminhamento para os demais serviços da rede de atendimento social da prefeitura. Outros espaços que atendem moradores de rua em Porto Alegre são o Abrigo Bom Jesus, localizado no bairro de mesmo nome, e o Marlene, no Menino Deus.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia