Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Direitos humanos

Alterada em 06/04 às 10h54min

Mais 146 venezuelanos chegam em Cuiabá e São Paulo nesta sexta-feira

Na quinta-feira, 104 refugiados já chegaram a capital paulista

Na quinta-feira, 104 refugiados já chegaram a capital paulista


ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC
Um segundo voo da Força Aérea Brasileira (FAB) com 146 venezuelanos a bordo decolou de Boa Vista (RR) na manhã desta sexta-feira (6) com destino a Cuiabá e São Paulo. Nesta quinta-feira (5) 104 refugiados chegaram à capital paulista. A operação faz parte de uma ação do governo federal para interiorização dos imigrantes do país vizinho.
O avião deixou Boa Vista às 8h desta sexta com previsão de chegada à Base Aérea de Cuiabá às 11h. Ônibus transportarão 69 pessoas a um abrigo administrado por uma organização da sociedade civil.
O mesmo voo sairá de Cuiabá às 12h30 e chegará à base área de Guarulhos, em SP, às 15h30. Desse grupo, 77 vão para dois Centros Temporários de Acolhida (CTA) da Prefeitura de São Paulo, em São Mateus, na zona leste, e em Santo Amaro, zona sul. Outros cinco seguirão para a Casa de Passagem Terra Nova, local de acolhimento administrado pelo Estado de São Paulo.
Nesta quinta, um primeiro voo deixou o aeroporto de Boa Vista às 8h30 (horário local) e chegou à Base Aérea de Guarulhos às 13h30. Três ônibus levaram 74 imigrantes para o CTA São Mateus, outros 26 seguiram para a Missão Paz, abrigo administrado pela sociedade civil, e quatro foram levados à Casa de Passagem Terra Nova.
Os Estados de São Paulo e Mato Grosso e municípios de São Paulo e Cuiabá estão trabalhando em parceria com o governo federal e agências das Nações Unidas.
Segundo a Casa Civil, a interiorização não terá custo para os venezuelanos. As viagens serão custeadas com os R$ 190 milhões liberados ao Ministério da Defesa por meio da Medida Provisória 823/2018, que trata da assistência emergencial e acolhimento humanitário das pessoas que deixaram a Venezuela.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia