Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

Alterada em 04/04 às 09h55min

Rodoviários protestam em Porto Alegre contra demissões na Carris

Funcionários também se queixam de falta de veículos e de peças para os ônibus

Funcionários também se queixam de falta de veículos e de peças para os ônibus


MARCO QUINTANA/JC
Bruna Oliveira
Trabalhadores da Carris protestaram na manhã desta quarta-feira (4) em frente a sede da empresa, na zona Leste de Porto Alegre, contra demissões de funcionários da companhia. Os rodoviários fecharam o portão da garagem, impedindo a saída dos ônibus durante alguns minutos no início da manhã.
O protesto de hoje, de acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, Sandro Abade, ocorreu especialmente contra ações da Diretora-Presidente da Carris, Helen Machado, "que está botando o pé no pescoço dos trabalhadores, com demissões por justa causa e punições sem motivo". Abade diz que já são 19 demissões por justa causa desde o início do ano.
A categoria ainda critica a falta de diálogo com o comando da companhia, afirmando que desde novembro do ano passado tenta uma reunião para tratar da situação da empresa. Os funcionários se queixam de falta de veículos e de peças para os ônibus.
Segundo Abade, o protesto desta quarta foi o primeiro de uma série de ações que virão nos próximos dias para denunciar a situação da empresa. "O que está acontecendo é um desmonte da Carris. Levantamos hoje nossa bandeira de guerra contra essa administração e vamos até o fim", afirma.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia