Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 02 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Mobiliário urbano

02/04/2018 - 19h40min. Alterada em 02/04 às 23h57min

Primeira parada sustentável de Porto Alegre aguarda energia para funcionar

Os serviços da parada poderão ser utilizados a partir desta sexta-feira

Os serviços da parada poderão ser utilizados a partir desta sexta-feira


CLAITON DORNELLES /JC
Luis Filipe Gunther
Quase uma semana depois da sua instalação, a primeira parada sustentável de ônibus de Porto Alegre ainda não está em funcionamento. Localizada na avenida Goethe, em frente ao Parque Moinhos de Vento, a parada oferece uma tela informativa e portas USB, mas que ainda não podem ser usadas por falta de abastecimento de energia.
Apesar de contar com painéis solares, a parada usa um equipamento chamado 'inversor on grid' que precisa ser abastecido por uma rede elétrica para gerar os créditos que serão abatidos no valor da conta de luz da prefeitura. Responsável pelo projeto e manutenção da parada, a ONG TodaVida informou que os equipamentos estão aptos para funcionamento e que aguardam a ligação da energia da CEEE que está prevista para sexta-feira (6).
A presidente da ONG TodaVida, Lígia Miranda, explicou que "a instalação da rede elétrica dependia da liberação do mobiliário" da Capital. E ressaltou que a ligação que estava prevista só para 15 dias depois da aprovação, mas conseguiu ser adiantada para o final desta semana.
Lucia Corte utiliza o transporte público da região há 28 anos e diz que "o empreendimento é ótimo, mas não temos segurança. Não tendo segurança todo esse trabalho bonito não tem utilidade". "Com menos de uma semana já está faltando peças do USB, quanto tempo vai durar toda essa estrutura?", afirmou Lucia, após observar a falta de duas das quatro portas para carregamento de celular. Consultada, a TodaVida informou que as duas entradas que estão faltando ainda não foram instaladas, pois aguardam a ligação da energia para coloca-las. 
O projeto é fruto de um convênio da prefeitura de Porto Alegre com a ONG TodaVida e financiado pelo Shopping Total. O plano desenvolvido pela EPTC prevê a instalação de maia cinco paradas pela cidade: nas avenidas Independência, Diário de Notícias, Ipiranga e Nilo Peçanha. O órgão ainda não decidiu o local onde será instalado a sexta parada sustentável.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia