Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado Imobiliário

26/04/2018 - 17h57min. Alterada em 26/04 às 17h57min

Caixa quer superar os R$ 15 bilhões em negócios no Feirão da Casa Própria de 2018

A Caixa Econômica Federal iniciará na próxima semana seu tradicional Feirão da Casa Própria, quando espera movimentar mais de R$ 15 bilhões com as vendas de imóveis. Se a expectativa do banco for confirmada, isso significará um crescimento de ao menos 14,5% em relação as valores movimentados com as vendas de 2017 (R$ 13,1 bilhões) e de 45,6% frente aos negócios de 2016 (R$ 10,3 bilhões).
A Caixa Econômica Federal iniciará na próxima semana seu tradicional Feirão da Casa Própria, quando espera movimentar mais de R$ 15 bilhões com as vendas de imóveis. Se a expectativa do banco for confirmada, isso significará um crescimento de ao menos 14,5% em relação as valores movimentados com as vendas de 2017 (R$ 13,1 bilhões) e de 45,6% frente aos negócios de 2016 (R$ 10,3 bilhões).
"Esperamos superar 2017. Nós temos uma economia mais aquecida, com melhores índices de confiança, e a expectativa para o feirão é a melhor possível", afirmou nesta quinta-feira (26), o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, durante transmissão ao vivo na página do banco no Facebook. "O momento é muito propício para a aquisição da casa própria. A taxa de básica de juros caiu, o emprego e a renda aumentaram, a inflação está baixa. O momento é favorável", avaliou.
Souza reiterou que o banco estatal conta com um orçamento de R$ 86 bilhões para financiar a aquisição de imóveis pela população em 2018. Ele observou que as condições de compra se tornaram mais favoráveis aos consumidores após a redução de juros anunciada no início deste mês.
A taxa de juros mínima cobrada pela Caixa em operações pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) caiu de 10,25% para 9,00% ao ano. Estão enquadrados nessa modalidade imóveis de até R$ 950 mil localizados em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e no Distrito Federal e de até R$ 800 mil para os demais Estados. No caso das operações pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), que abarca os imóveis acima dos limites estipulados no SFH, a taxa de juros mínima cobrada pela Caixa caiu de 11,25% para 10,00% ao ano.
Souza sinalizou que não estão previstos novos cortes neste momento. Ao ser questionado sobre o assunto durante a transmissão, o presidente afirmou que as taxas da Caixa já estão em um patamar considerado competitivo e que foram capazes de criar "círculo virtuoso" no mercado de crédito imobiliário - uma referência ao anúncio feito na quarta-feira, 25, pelo concorrente Santander, que decidiu cortar os seus juros do crédito imobiliário para 8,99% ao ano no SFH, e para 9,49% ao ano para Taxa de Mercado (Carteira Hipotecária).
Como de costume, o Feirão da Casa Própria é organizado pela Caixa em parceria com construtoras e imobiliárias e reúne, em um só lugar, ofertas de imóveis usados e novos, incluindo unidades na planta, em obras e prontas. Nesta edição, o evento ofertará 202,7 mil imóveis, dos quais 64 mil estarão em São Paulo, maior mercado imobiliário do País.
A edição de 2018 passará por 15 cidades - uma a mais do que em 2017 (São Luís). O evento começará por São Paulo, Salvador e Porto Alegre nos dias 4, 5 e 6 de maio; Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Uberlândia, Goiânia e São Luís, de 18 a 20 de maio; e Brasília, Belém, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza e Recife nos dias 25, 26 e 27 de maio.