Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Alterada em 24/04 às 12h50min

Faturamento da indústria de máquinas cai 5,6% em março, mostra Abimaq

Na comparação com fevereiro, um mês mais curto, houve alta de 13,8% nas vendas

Na comparação com fevereiro, um mês mais curto, houve alta de 13,8% nas vendas


CLAITON DORNELLES/JC
O faturamento da indústria nacional de máquinas e equipamentos alcançou R$ 6,04 bilhões no mês passado, 5,6% a menos do que o montante registrado em março de 2017, informou nesta terça-feira (24) a Abimaq, entidade que representa as empresas do setor. Na comparação com fevereiro, um mês mais curto, houve alta de 13,8% nas vendas dessa indústria, entre entregas ao mercado doméstico e exportações.
O resultado leva para R$ 15,98 bilhões o total faturado nos três primeiros meses do ano, o que corresponde a um leve crescimento de 0,8% frente ao primeiro trimestre de 2017.
As exportações, que somaram US$ 801,1 milhões no mês passado, caíram 15,2% no comparativo interanual. Por outro lado, as vendas da indústria de máquinas a clientes nacionais subiram, na mesma base comparativa, 2,7%, chegando a R$ 3,41 bilhões no mês passado.
Em março, o consumo de máquinas e equipamentos no País, que inclui as importações e é um termômetro dos investimentos nas linhas de produção, caiu 1% se comparado ao mesmo mês do ano passado. No total, as empresas brasileiras investiram R$ 7,93 bilhões em máquinas e equipamentos no mês passado, um crescimento de 24,9% frente a fevereiro.
Só as importações caíram 4,3% na comparação com março de 2017, chegando a US$ 1,21 bilhão. Mas como as exportações caíram mais, o déficit comercial desse mercado - ou seja, a diferença entre o que o Brasil compra e exporta de bens de capital mecânicos - ficou em US$ 407,4 milhões, 27,8% a mais do que no mesmo período do ano passado. Ante fevereiro, as compras de máquinas e equipamentos do exterior subiram 17,9%.
O balanço da Abimaq revela ainda que a utilização da capacidade instalada nas fábricas de máquinas chegou a 76,1% no mês passado, acima dos 69,5% de um ano atrás e dos 74% de fevereiro.
A mão de obra no setor subiu 0,5% na comparação com março de 2017. A indústria de máquinas terminou o mês passado empregando 293,9 mil pessoas, 0,2% acima de fevereiro.
O consumo de bens de capital mecânicos no Brasil caiu 3,9% nos três primeiros meses de 2018, chegando a R$ 20,85 bilhões, de acordo com o balanço da Abimaq.
Apesar disso, por conta do aumento de 23,7% das exportações, a indústria de máquinas e equipamentos conseguiu um leve aumento de 0,8% do faturamento nos três primeiros meses de 2018. Após cinco anos seguidos de retração no faturamento do setor, a previsão da Abimaq é de aumento na faixa de 5% e 10% nas vendas dessa indústria.
As importações subiram 5,4% nos três primeiros meses do ano, para US$ 3,48 bilhões. Como as exportações cresceram mais no trimestre, apesar do resultado negativo de março, o déficit comercial no setor caiu para US$ 1 bilhão no primeiro trimestre, 22,8% abaixo do saldo negativo de igual período do ano passado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia