Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Empreendedorismo

Notícia da edição impressa de 09/04/2018. Alterada em 09/04 às 10h37min

Ação quer criar 1 bilhão de empreendedoras

Ingrid pretende engajar 1 bilhão de mulheres em projetos empreendedores até 2020

Ingrid pretende engajar 1 bilhão de mulheres em projetos empreendedores até 2020


EBW/Divulgação/JC
Mauro Schneider e Patrícia Comunello
A norte-americana Ingrid Vanderveldt tem uma meta bem ambiciosa. Ela quer empoderar - um termo que literalmente ganha cada vez mais força no jargão de engajamento feminino -, um bilhão de mulheres em até dois anos. E o caminho passa por desenvolver novos negócios. Como Ingrid, ex-executiva da Dell e fundadora e presidente do projeto Empowering a Billion Women (EBW) by 2020, pretende atingir seu plano, será um dos trunfos de quatro eventos que trazem a norte-americana ao Rio Grande do Sul em parcerias com quatro das principais universidades gaúchas. A programação foi montada pelo Consulado dos Estados Unidos em Porto Alegre.
Ingrid estará de hoje até quarta-feira em quatro palcos. Inicialmente seria apenas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que faz a largada da maratona da CEO da EBW, e logo depois mais três eventos foram confirmados. Hoje também na Unisinos, amanhã na Universidade de Caxias do Sul (UCS) e quarta-feira no Tecnopuc, no campus da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs). São eventos abertos ao público. 
Em entrevista ao Jornal do Comércio, feita por Skype, direto de sua residência na cidade de Austin, nos Estados Unidos, a fundadora do movimento adiantou que as ferramentas para conseguir atingir seu objetivo são a tecnologia e o empreendedorismo. "Mal posso esperar para chegar aí (Brasil). Quero aprender e entender como podemos colaborar juntos, e encorajá-los de que qualquer sonho que se tem é possível quando você acha a mentoria e os parceiros certos", provocou a palestrante. "Minha expectativa é começar o diálogo e entender em que ponto as coisas estão, as oportunidades, os interesses, as necessidades. A partir disso, analisar de que forma a cena de empreendedorismo feminino local pode colaborar globalmente", adiantou a convidada. 
Os temas dos eventos abordam a inovação para empoderar as mulheres, exemplos de empreendedoras de sucesso e a tecnologia para impulsionar os projetos. Também o aporte de conhecimento sobre finanças para gerir iniciativas é item focado por Ingrid. "Para ser mais exata: 74% dos pequenos negócios terminam por analfabetismo financeiro", adverte. Para quem for a um dos quatro encontros, a CEO da EBW vai detalhar um novo projeto que envolve o tema das finanças. Acesse a entrevista completa com a norte-americana na plataforma de conteúdos sobre empreendedorismo Geração E.       
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia