Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

05/04/2018 - 18h47min. Alterada em 05/04 às 18h47min

Ibovespa fecha em alta de 1,01%

Com o resultado do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desfavorável ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, investidores reposicionaram suas carteiras atuando fortemente na ponta compradora logo no início do pregão desta quinta-feira. Mas, passada a animação inicial, o Ibovespa arrefeceu o ritmo de alta para fechar com valorização de 1,01% aos 85.209,66 pontos.
Com o resultado do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desfavorável ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, investidores reposicionaram suas carteiras atuando fortemente na ponta compradora logo no início do pregão desta quinta-feira. Mas, passada a animação inicial, o Ibovespa arrefeceu o ritmo de alta para fechar com valorização de 1,01% aos 85.209,66 pontos.
"Agora que o mercado digeriu a questão do habeas corpus de Lula, as atenções se voltam para os dados do mercado de trabalho nos Estados Unidos amanhã", ressaltou Fabricio Estagliano, analista-chefe da Walpires Corretora, para quem a bolsa veio corrigindo o espaço entre fechamento de ontem e a abertura do pregão de hoje no decorrer do dia na medida em que não houve notícia relevante que se sobrepusesse à necessidade de correção.
O giro financeiro chegou a R$ 13,130 bilhões, indicando o maior fluxo de negócios em um patamar acima da média anual.
Apesar do arrefecimento do índice à vista na segunda etapa do pregão, as ações de empresas que mais têm correlação com tensões no campo político local, como as blue chips Petrobras e Banco do Brasil, se mantiveram perto das máximas intraday, recuperando as perdas dos últimos dias em razão da cautela dos investidores. Os papéis do BBAS ON apontaram alta de 2,92%.
Já as da petroleira estatal, que passaram o dia com valorização por volta de 4%, encerraram a sessão de hoje com ganhos de 3,78% (PN) e 2,73% (ON), também influenciadas pela alta nas cotações dos contratos futuros de petróleo no mercado internacional, que subiram diante de um sentimento mais otimista com sinais de que a queda-de-braço entre os Estados Unidos e a China perde força.
O petróleo WTI para maio fechou em alta de 0,27% e o Brent subiu 0,46%.
A perspectiva de analistas é que, caso o Ibovespa se firme no nível dos 85.600 pontos, pode haver tração para alcançar novas máximas históricas, principalmente com a volta do investidor estrangeiro que pode dar esse impulso.
De acordo com dados da B3, os investidores estrangeiros ingressaram com R$ 288,368 milhões na última terça-feira, dia 3. Em abril, os estrangeiros já ingressaram com R$ 417,237 milhões e, com isso, o saldo de 2018 segue positivo em R$ 459,630 milhões.