Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 30/04/2018. Alterada em 29/04 às 19h27min

IPTU da Capital

Peço aos vereadores de Porto Alegre que não cometam o erro de seguir esta ideia do nosso prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB), que só quer aumentar impostos. Pede mais uma vez que os nossos representantes na Câmara aceitem o seu pedido de aumento do IPTU e outros tantos, quando deveria, sim, diminuir despesas na sua administração e conduzir melhor a cidade, promessa de campanha, e como dito, só promessa. Quer jogar tudo à responsabilidade do povo. Pagamos taxas mensais inseridas nas contas de luz/energia, há mais de 10 anos. Não esqueçam da próxima eleição, tenham um minuto de sabedoria, senhores vereadores. (Ruy Christini)
Reforma trabalhista
Nobre deputado Altemir Tortelli. Sobre seu artigo publicado na página 4/Opinião, do Jornal do Comércio dia 25/04/2018, peço-lhe que assine a carteira de 15 ou 20 funcionários e verá como é a legislação trabalhista no Brasil para quem empreende. Faça isso e espere alguns anos. Entenderá algumas coisas. Dar a culpa da distribuição de renda para a reforma trabalhista, em vigor há 4 meses, meu Deus! Deputado Tortelli, vá para a Venezuela (trabalhei lá dois anos), converse com as pessoas que como você apoiaram regimes como os de Chávez, Lula, Dilma, Kirchner's, converse com estas pessoas agora. Deputados, juízes, advogados, empresários, operários - chavistas em geral -, veja o que elas têm para dizer agora, maioria no exterior, fugida da perseguição de companheiros, pobreza, fome, falta de saúde. Milícias (como as do MST) tomaram conta do país, patrocinadas por Chávez (nosso Lula), ou Maduro - agora a pobreza tomou conta de todo país -, povo em desespero. Renda desapareceu, alguns chavistas milicianos ficaram milionários e o povo, na miséria... País destruído. Deputado Tortelli, cuidado com suas ideias, se a distribuição de renda no Brasil é ruim - há séculos tem sido e é vergonhosa -, não é a cleptocracia que o PT impôs que vai resolver. A legislação trabalhista precisa mudar, e muito mais, para poder gerar tranquilidade para quem trabalha e para quem empreende. Deputado, vá para o RH de uma empresa que emprega 100 ou 200 pessoas - fique lá um ou dois dias -, ouça o que as pessoas de bem têm para dizer. (Ricardo Recktenwald)
Erechim 100 anos!
Não é data comum. Ao contrário, para comemoração e profunda reflexão. Pensar no que já feito e no que se há de fazer! Neste dia 30 de abril, o nosso Erechim alcança 100 anos de emancipação político-administrativa. Hoje, com 107 mil habitantes. Construído por operosa e competente população. Desenvolveu-se em todas as áreas, começando pelo setor primário, e enfrenta, nos dias presentes, os enormes desafios, que jamais arrefecerão nosso ânimo, advindos do quadro nacional. Nossa cidade conhecida e fazendo jus ao título de "Capital da Amizade". Aqui estamos sempre para trabalhar, praticando a solidariedade, entendendo que a compreensão é a pedra de toque para a união entre os seres pensantes. Que o Grande Criador continue a inspirar a todos. (Jorge Lisbôa Goelzer, advogado, Erechim/RS)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Marco 02/05/2018 08h15min
Cassio, se o governo ajustar o IPTU de forma que não aumente a arrecadação eu assino embaixo. Mas o que o Marchezan quer é aumentar a arrecadação!
Cassio 30/04/2018 08h21min
Estranho alguém ir contra esta medida de ajuste do IPTU. Ninguém quer aumentar IPTU e sim ajustar o valor do imóvel, como pode ser contra? Minha opinião é que quem é contra esta medida é um oportunista, que aceita a valorização do seu imóvel e não aceita que o imposto cobrado sobre ele não acompanhe. Vergonha.