Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Alterada em 28/03 às 09h57min

Jungmann afirma que tiros contra caravana de Lula são inaceitáveis

O ministro também condenou os confrontos entre militantes petistas e anti-lulistas

O ministro também condenou os confrontos entre militantes petistas e anti-lulistas


FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL/JC
O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, classificou nesta terça-feira (27) como "inaceitável" o ataque a tiros aos ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no interior do Paraná. Dois veículos foram atingidos por disparos de arma de fogo, mas ninguém se feriu.
"É absolutamente inaceitável que aconteça, parta de quem partir. Isso não é convivência democrática. Isso não pode acontecer, e se acontecer é preciso identificar os responsáveis porque não pode se repetir dentro do regime democrático", disse o ministro.
Jungmann também condenou confrontos entre militantes petistas e anti-lulistas. Jornalistas foram agredidos no trajeto por seguranças do ex-presidente. "Não podemos admitir confrontos e é preciso ter respeito."
O ministro afirmou que a Polícia Federal não irá investigar o caso porque o crime não foi federal e cabe às autoridades estaduais atuar. "Caberá à investigação estabelecer se foi ou não (um atentado político)", disse. Jungmann iria conversar ainda na terça-feira (27) com a Secretaria de Segurança do governo Beto Richa (PSDB), para pedir "atenção redobrada" para o caso. "Eu pedi que existam cuidados adicionais e falo sempre com a própria PRF", disse o ministro. Antes, ele se reuniu com parlamentares da bancada do PT.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia