Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Polícia Federal

Notícia da edição impressa de 02/03/2018. Alterada em 01/03 às 22h43min

Galloro troca diretores indicados por Segovia

Análise de indicações de Rogério Gallor será feita em conjunto com ministro da Segurança

Análise de indicações de Rogério Gallor será feita em conjunto com ministro da Segurança


PEDRO LADEIRA/FOLHA PRESS/JC
O novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Rogério Galloro, decidiu trocar todos os diretores setoriais indicados para os cargos pelo ex-diretor Fernando Segovia.
O superintendente da PF no Distrito Federal, delegado Élzio Vicente da Silva, foi convidado para ser o novo diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado na gestão Galloro.
A diretoria é a terceira mais importante na hierarquia da instituição e é a área responsável por coordenar todas as operações e inquéritos envolvendo políticos com prerrogativa de foro privilegiado. Silva é um dos delegados mais experientes e respeitados dentro da instituição. Ex-promotor que fez concurso para delegado por gosto pelo ofício, Silva foi parte da equipe do ex-diretor Paulo Lacerda, que inaugurou o período das grandes operações de combate à corrupção.
Silva, aliás, esteve à frente de algumas das mais impactantes ofensivas da polícia contra o crime de colarinho branco, entre elas as operações Anaconda, Furacão e Navalha. Deflagrada em 2003, a Anaconda quebrou um tabu ao botar na cadeia um dos mais poderosos juízes federais de São Paulo, Rocha Mattos, condenado por corrupção. A Furacão (ou Hurricane) resultou na prisão de quase todos os grandes bicheiros do Rio em 2007 e deixou em delicada situação desembargadores e até um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), suspeitos de favorecer os criminosos.
A delegada Silvana Helena Vieira Borges foi escolhida para ocupar o cargo de diretora executiva da PF e ser a "número 2" da corporação. Para comandar a Diretoria de Inteligência Policial, Galloro convidou o delegado Umberto Rodrigues.
Galloro escolheu ainda o delegado Delano Bunn para ocupar a Diretoria de Gestão de Pessoal. Na Diretoria de Administração e Logística Policial, o delegado Fabrício Kelmer foi o escolhido pelo novo diretor-geral da PF. A definição da equipe de Galloro foi antecipada pelo blog da Coluna do Estadão.
Nesta quarta, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann (PSD), afirmou que analisaria as indicações de Galloro "em conjunto" com o diretor-geral. "O diretor-geral vai analisar (as indicações) e nos trazer. Acredito que devo ter o conhecimento e comigo ele deve discutir a respeito do que ele deseja, do que ele pretende fazer. Aí serão tomadas as decisões", disse o ministro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia