Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Contas Públicas

28/03/2018 - 11h20min. Alterada em 30/03 às 12h16min

Meirelles autoriza devolução de recursos do Bndes ao Tesouro

O BNDES já havia anunciado o pagamento de R$ 30 milhões até abril

O BNDES já havia anunciado o pagamento de R$ 30 milhões até abril


DANILO UCHA/JN/ARQUIVO/JC
O Diário Oficial da União (DOU) publicou nesta quarta-feira (28) despachos do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que autorizam a liquidação parcial antecipada de três contratos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) com a União.
O Diário Oficial da União (DOU) publicou nesta quarta-feira (28) despachos do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que autorizam a liquidação parcial antecipada de três contratos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) com a União.
Os documentos não informam os valores, mas o Bndes já havia anunciado que iria pagar ao Tesouro Nacional, até abril, uma parcela de R$ 30 bilhões referente a mais uma devolução antecipada dos aportes feitos no banco pela União.
Esta seria a primeira de duas tranches de um total de R$ 130 bilhões a serem devolvidos ainda em 2018. Os contratos dessa antecipação são de outubro de 2012, dezembro de 2012 e dezembro de 2013, conforme os despachos.
A devolução dos valores pelo Bndes ajuda (mas não resolve) o governo a cumprir a chamada "regra de ouro" do Orçamento em 2018. O rombo projetado para este ano é de R$ 203,4 bilhões, mesmo depois da devolução dos R$ 30 bilhões do Bndes. A violação da norma é crime de responsabilidade, inclusive do presidente da República.