Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Campeonato Gaúcho

Notícia da edição impressa de 19/03/2018. Alterada em 18/03 às 21h56min

Grêmio domina segundo tempo e faz 3 a 0 no Inter

Ramiro e Arthur (de costas) comemoram após Jael (d) fazer gol de falta

Ramiro e Arthur (de costas) comemoram após Jael (d) fazer gol de falta


LUCAS UEBEL /GRÊMIO FBPA/JC
Igor Natusch
Jogando apenas 45 minutos, fica difícil vencer. E foi isso o que se viu ontem, na Arena, no Grenal de ida das quartas de final do Campeonato Gaúcho. Depois de um começo equilibrado, definido por detalhe a favor dos donos da casa, a segunda etapa praticamente só teve o Grêmio em campo. E foi nesse período de ampla superioridade que o Tricolor construiu um elástico 3 a 0, que dá, ao lado azul, ampla vantagem na busca de uma vaga nas semifinais. Agora, o Grêmio pode perder por até dois gols de diferença na quarta-feira, no Beira-Rio, para garantir a classificação. Ao Colorado, resta uma façanha: só fazendo quatro gols a mais no jogo de volta para ganhar a vaga no tempo normal.
Buscando um desempenho superior ao da última rodada da fase classificatória, em que o Grêmio venceu o clássico por 2 a 1, o técnico Odair Hellmann mexeu bastante no time. Além de Edenilson, substituindo o lesionado Dudu na lateral-direita, o Colorado veio diferente em todos os setores: Moledo na zaga, Gabriel Dias entre os volantes, Marcinho abrindo pela meia direita e Nico López deslocado para a frente de ataque. No Grêmio, por outro lado, apenas uma mudança: Léo Moura voltando pelo lado direito, no lugar do inconstante Madson.
Os primeiros movimentos, porém, foram bem diferentes do que se esperava antes do apito inicial. Logo aos dois minutos, o Inter teve uma chance clara: D'Alessandro levantou uma bola parada na área, Dourado venceu Jailson no cabeceio e Marcelo Grohe, à queima-roupa, salvou. Curiosamente, o Grêmio respondeu no contra-ataque, com Everton chutando por cima. Nada de retranca: o Inter jogava projetado, confiando na recomposição rápida para impedir que o Tricolor aproveitasse o espaço vazio. Aos 22 minutos, novo cabeceio colorado, desta vez de Patrick, forçou Grohe a um voo acrobático para evitar o gol. De novo, a resposta gremista foi um chute de longe, por cima, desta vez por Luan.
Com o avanço dos minutos, porém, a situação se inverteu, com o Inter posicionando-se mais atrás e o Grêmio trabalhando a bola, quase sempre dentro do campo adversário. A marcação colorada era eficiente, mas foi a paciência gremista que acabou recompensada aos 48 minutos. Em uma trama pelo lado direito de ataque, Luan acionou Ramiro, livre, dentro da área colorada. Sem afobação, o meia preferiu cruzar rasteiro, achando Everton do lado oposto para concluir. Marcelo Lomba ainda esticou o pé, mas não conseguiu salvar: 1 a 0 para os mandantes.
Grêmio 3 x 0 Internacional
Marcelo Grohe; Léo Moura (Michel), Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jaíson, Maicon (Arthur), Ramiro, Luan e Everton (Alisson); Jael. Técnico: Renato Portaluppi.
Marcelo Lomba; Edenilson, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Gabriel Dias (Fabiano), Patrick e D'Alessandro; Marcinho (Rossi) e Nico López (Roger). Técnica: Odair Hellmann.
Árbitro: Anderson Daronco

Após retorno do vestiário, Colorado sofre 'apagão' e é dominado pelo rival

O vestiário fez mal ao Inter. Ou talvez o Inter tenha optado por ficar lá mesmo, já que quase nada de futebol veio do lado vermelho durante a segunda etapa. Enquanto o Tricolor trocava passes de forma confiante, o Inter, sem ver a cor da bola, ficava cada vez mais espremido no próprio campo. Na primeira etapa, o Grêmio não teve nenhum escanteio; no segundo tempo, em menos de 15 minutos, foram cinco. Em um deles, Lomba salvou em cabeceio de Geromel.
O segundo gol gremista era uma consequência lógica do que se via dentro de campo. E veio de bola parada. Aos 17, Jael, tão criticado pela falta de eficiência com a bola rolando, cobrou falta com capricho insuspeitado, colocando de forma indefensável no ângulo direito.
Diante de um Inter apático, Odair Hellmann optou por mudanças técnicas, sem refazer o desenho do time dentro de campo. Aos trancos e barrancos, o Colorado até projetou-se à frente, mas ficou desguarnecido atrás, e acabou vitimado por um contra-ataque fatal aos 32 minutos. Jael uma vez mais surpreendeu, dando um passe de ombro para Arthur, que invadiu a área e deslocou Lomba para fazer o terceiro gol.
Com a partida comprometida, e sem tranquilidade para criar chances com a bola no chão, restava ao Inter a bola parada. Aos 37, de novo, Dourado teve o cabeceio, e, mais uma vez, Grohe espalmou para longe. Fora isso, porém, só um time esteve no gramado da Arena na segunda etapa. Ao Inter, resta tentar fazer com que o jogo no Beira-Rio valha por dois, enquanto os gremistas comemoram uma classificação muito bem encaminhada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 19/03/2018 09h35min
COLORADOS, FALTA HUMILDADE PARA OS TORCEDORES RECONHECER A CAUSA DA DERROTA!!!nAceita que dói menos, tudo dentro da normalidade. Aguardaremos para ver quantos GreNais o Odair vai resistir. Já está com o absurdo de 10x1 em Gols contra no comando dele. O Internacional virou um medroso saco de pancada do Grêmio. O Gauchão já foi, que o próximo jogo da CB venha logo. Caso o Colorado consiga reverter os 3x0 de hoje no próximo jogo, será a maior zebra do Gauchão. Nunca será tarde para montar um grande time, e ter técnico melhor, ou seja, sem rótulo de perdedor. Abs. Dorian Bueno, POA, 19.03.2018n