Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Inovação

25/03/2018 - 22h25min. Alterada em 26/03 às 11h04min

Elipse lança solução que monitora processos fabris

Software dá maior flexibilidade na linha de produção, explica Corrêa

Software dá maior flexibilidade na linha de produção, explica Corrêa


/FREDY VIEIRA/JC
Patricia Knebel
De olho em todo o potencial e nas particularidades que envolvem a Indústria 4.0, a gaúcha Elipse Software está trazendo para o mercado um novo produto: o Elipse F4. A plataforma permite executar o planejamento, a programação e o controle de produção e materiais em tempo real.
De olho em todo o potencial e nas particularidades que envolvem a Indústria 4.0, a gaúcha Elipse Software está trazendo para o mercado um novo produto: o Elipse F4. A plataforma permite executar o planejamento, a programação e o controle de produção e materiais em tempo real.
Fazendo uma analogia com o aplicativo de trânsito e navegação mais usado no mundo, a solução é uma espécie de Waze industrial, capaz de indicar os roteiros por onde devem passar os produtos para se ter execução mais rentável na linha de produção. Na fabricação de um calçado, por exemplo, o software aponta qual máquina usar e, caso ocorra uma falha, que produtos priorizar na linha fabril para que determinada esteira não seja usada enquanto ocorre o conserto. "O Elipse F4 é o coração da manufatura, monitorando e tomando decisões em tempo real", comenta o diretor de desenvolvimento da Elipse Software e idealizador do Elipse F4, Alexandre Balestrin Corrêa.
A ideia do Elipse F4 é evoluir desde o planejamento e a previsão da demanda até a gestão correta de insumos e matéria-prima, organizando o processo fabril e a cadeia de suprimentos. A plataforma analisa a relação de vendas e pedidos anuais, otimiza por lotes mais rentáveis para a empresa e parte para a execução a partir de controles ligados às máquinas que estão produzindo. "É um produto inovador. Estamos lançando primeiras versões, e os clientes já começaram a adotar", conta.
Até então, a Elipse desenvolvia, prioritariamente, softwares para atender às empresas com processos contínuos e semicontínuos, como os voltados para o tratamento de água, as refinarias e os sistemas energéticos. Quando se trata de manufatura, porém, é preciso outro tipo de software. "Um dos desafios da Indústria 4.0 é ter lotes menores de produção e conseguir otimizar e ter mais flexibilidade na sua linha de produção, e é isso que estamos oferecendo", conta Corrêa.
O diretor de Engenharia da BRN Metal, Alexandre Baroni, comenta que os maiores ganhos da aplicação do Elipse F4 estão em mercados em que há uma grande variedade de produtos sendo fabricados, mas com baixa escala, como diferentes modelos de carros ou tênis. "Imagine uma peça de um veículo que tem que cumprir um trajeto. Com esse sistema, tudo estará sendo monitorado em tempo real, e, caso surja qualquer adversidade, o software repensa qual o melhor fluxo a cumprir", comenta. Segundo Baroni, é preciso muita flexibilidade.
"Os softwares de ERP tradicional, geralmente, não têm essa capacidade de analisar, matemática e estatisticamente, a linha de produção e fazer essas mudanças", destaca, afirmando que, futuramente, o uso de Inteligência Artificial irá otimizar ainda mais esses processos. A BRN Metal participou do desenvolvimento do software em conjunto com a Elipse. 

Laboratório terá parceria entre Pucrs e Stefanini

O iSeed, um espaço elaborado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs), conta, agora, com a parceria da Stefanini, provedora global de soluções de negócios baseada em tecnologia, que participou da revitalização do Laboratório de Inovação.
O ambiente foi criado para apresentação de tecnologias de ponta e demonstração do potencial de parceria entre a academia e o mercado. A ideia é que o iSeed seja utilizado no desenvolvimento de ideias inovadoras, que deverão aprimorar problemas do dia a dia.
O Laboratório de Inovação busca a sinergia pelo fomento à pesquisa e ao empreendedorismo, incentivando a participação da comunidade acadêmica (alunos, professores, pesquisadores da Pucrs e clientes Stefanini) na elaboração de soluções para o mercado.
Marco Stefanini esteve em Porto Alegre para a inauguração e disse que espaços como este fazem parte de uma estratégia global da companhia para o desenvolvimento e a demonstração de novas tecnologias, a partir do conceito de Design Thinking. "Temos uma cultura inovadora dentro da Stefanini, que será reforçada pelos laboratórios e centros de inovação. Queremos oferecer, cada vez mais, soluções que promovam a transformação digital dentro das empresas, com ferramentas eficientes, leves, flexíveis, fáceis de operar e com rápida implementação", explica.