Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 22/03 às 16h11min

Ouro fecha em alta com demanda por ativos seguros em meio a tensões comerciais

O ouro fechou em alta na sessão desta quinta-feira (22) em meio a reforçados temores de uma guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, com o anúncio pela Casa Branca de um pacote tarifário direcionado ao país asiático.
Este cenário sugere que o metal amarelo conseguiu captar alguma demanda de investidores por ativos considerados mais seguros, em meio à força vendedora que pressiona os mercados acionários em Wall Street. A sessão desta quinta-feira também foi a primeira desde que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) elevou os juros em 0,25 ponto porcentual, para a faixa entre 1,50% e 1,75%.
Em relatório a clientes, o Commerzbank avalia que essa decisão contribuiu para a alta do metal precioso. "O preço de ouro mostrou desta vez o mesmo padrão de negociação apresentado antes de outras reuniões do Fed: fraco antes da reunião e, depois dela, recuperado significativamente", analisa o banco alemão, que acrescenta que "a recuperação (do ouro) pode continuar por mais alguns dias".
Na Comex, divisão de metais da New York, o contrato de ouro para entrega em abril fechou em alta de US$ 5,90 (+0,45%), a US$ 1.327,40 por onça-troy.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia