Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Digital

- Publicada em 27 de Março de 2018 às 15:20

App Fofuuu estimula a linguagem das crianças

aplicativo aprendizagem Divulgação Fofuuu

aplicativo aprendizagem Divulgação Fofuuu


FOFUUU/DIVULGAÇÃO/JC
Com a proposta de estimular a fala e linguagem das crianças de uma maneira mais lúdica, a Fofuuu, startup da área de saúde e educação, está lançando no mercado brasileiro o Fofuuu Kids.
Com a proposta de estimular a fala e linguagem das crianças de uma maneira mais lúdica, a Fofuuu, startup da área de saúde e educação, está lançando no mercado brasileiro o Fofuuu Kids.
A ideia é que os tradicionais treinos cansativos e repetitivos deem lugar a um cenário lúdico, em que a criança realiza os mesmos exercícios, mas dentro de um contexto criativo, desafiante e estimulador. Os jogos funcionam tanto como um instrumento terapêutico, quanto como de estimulação multissensorial da criança em casa.
"A Fofuuu é pioneira ao associar reconhecimento de sons e inteligência artificial, com técnicas de gamificação para potencializar habilidades linguísticas e de comunicação e promover um tratamento lúdico e personalizado", afirma a fundadora da Fofuuu, Ligia Cardoso.
A abordagem terapêutica atual é a utilização de atividades como soprar em apitos, balões ou canudos e exercícios de fonemas usando cartões, objetos do cotidiano. "Somos precursores na adaptação da articulação com o apoio de estímulos multissensoriais, com atividades que trabalham a percepção do uso da voz, o direcionamento do fluxo de ar e a propriocepção do ar na cavidade oral", reforça. Em 2017, a startup teve seu primeiro aporte de investidores, no valor de R$ 500 mil. Para 2018, a expectativa é de R$ 1,5 milhão.
A criança é guiada em um treino estruturado em formato de tabuleiro que pode ser personalizado por seu fonoaudiólogo para sua necessidade. Por meio da tecnologia de Inteligência Artificial, a plataforma usa o reconhecimento de voz para mover os personagens durante os jogos. Com isso, a criança aprende fazendo a repetição necessária. Ao ensinar a produção correta do som da letra z, por exemplo, a fonoaudióloga ensina onde a língua deve tocar e como ela se posiciona dentro da boca, para modificar o som da voz produzida no pescoço pela vibração das pregas vocais.
Quando a criança aprende estes ajustes, é preciso a repetição do novo padrão para que ela automatize, ou seja, faça a produção articulatória correta também inconscientemente. Isso porque, na conversa nós não ficamos prestando atenção em como estamos falando, mas sim no conteúdo que se é dito.
Dentro da proposta da Fofuuu, esta repetição vai acontecer durante atividades direcionadas, como brincar com uma abelha de pelúcia e simular o som do bater de suas asas "zzzzzzzzzzzz" ou brincadeiras de colorir desenhos com o som abordado. "A maioria das crianças têm grande interesse pelos jogos digitais. A repetição da produção correta do som aprendido, quando inserida neste universo lúdico, gera maior motivação na criança", explica Ligia. Durante o processo de aprendizado, a fonoaudióloga responsável pela criança vai monitorando esta produção no consultório e um adulto acompanha os treinos em casa, para garantir que ela está atenta à forma como está falando durante o jogo.

Iniciativa já ajuda na reabilitação de pequenos pacientes

A Fofuuu surgiu a partir da experiência de uma de suas sócias da startup, Tricia Araujo, que nasceu com lábio leporino (malformação facial que atinge um a cada 650 bebês no País). Na infância, ela passou por 14 cirurgias e sete anos de terapia fonoaudiológica para que sua fala fosse compreendida por todos.
Hoje, com todas as dificuldades de fala superadas, ela, que também é uma das idealizadoras do projeto e nossa diretora de arte e criação, tornou sua experiência uma inspiração para ajudar as crianças com dificuldades na fala a enfrentarem seus desafios de forma mais divertida.
Os jogos da Fofuuu ajudam no tratamento e reabilitação de crianças com distúrbios de comunicação, autismo, surdez e lábio leporino. Em parceira com a prefeitura de São Bernardo do Campo (SP), está tratando mais de 200 crianças com dificuldades de fala.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO