Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 18 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
José A. V. da Cunha

Intervalo

Notícia da edição impressa de 19/03/2018. Alterada em 16/03 às 18h57min

Guerra cibernética ativa

Os debates do SXSW, o grande evento de tecnologia e modernidade que se realiza anualmente no Texas, Estados Unidos, mostraram que a guerra cibernética é também uma guerra de propaganda. O assunto foi bem detalhado pela jornalista Letícia Duarte, que acompanhou o evento para Coletiva.net, e disseca que a primeira grande batalha se deu com a eleição de Donald Trump. O resultado é que os gigantes da área, Facebook e Google à frente, estão sofrendo cobranças para que se posicionem mais fortemente no sentido de trabalhar para combater o novo mal do século XXI. Precisam se esforçar mais para ajudar a encontrar uma solução, é o que todos esperam.

As marcas sofrem muito...

Empresas contratam checadores de informação para evitar problemas

Empresas contratam checadores de informação para evitar problemas


/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
Nova praga do mundo moderno, as fake news desmontam reputações, criam falsos ídolos, acirram os ânimos e envenenam o debate de ideias. "Como consequência, fica muito mais difícil construir marcas e estabelecer relações de confiança entre consumidores e produtos num ambiente de baixa credibilidade", acredita Mario D'Andrea, presidente da Abap (Associação Brasileira das Agências de Publicidade). O problema é tão grave que empresas têm contratado checadores de informação, pessoas que monitoram as redes com a preocupação de proteger a reputação das marcas e dos profissionais ligados a elas.

... mas há os que ganham

Neste mundo, em que se deve desconfiar das informações que circulam como urgentes ou como subtraídas pela grande mídia, são os jornais que, paradoxalmente, mais ganham. E os exemplos são bem concretos: os 11 maiores jornais brasileiros registraram crescimento de 16,6% em assinaturas digitais no ano passado, segundo o IVC (Instituto Verificador de Comunicação). A conclusão é lógica: no terreno pantanoso das falsidades disseminadas como verdadeiras, a credibilidade da mídia impressa só se fortalece.

... os gigantes hesitam...

A Associação Nacional de Jornais também está atenta aos fakes e, segundo seu presidente, Marcelo Rech, atua com outras entidades contra o fenômeno. Mas ele alerta: "É preciso uma ação mais firme dos gigantes digitais, em particular Google, Facebook e Twitter. Como o negócio deles é vender publicidade direcionada baseada também no teor dos conteúdos compartilhados, a eliminação das notícias falsas tenderia a afetar suas audiências e, portanto, as receitas". A maior preocupação atual é com o que vem por aí em função das eleições de outubro. O WhatsApp, por exemplo, cujo uso no Brasil é generalizado, se presta mais a disseminar informações falsas sem que a origem possa ser identificada.

AGÊNCIAS


COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
3YZ criou ação em que coloca as consumidoras de seu cliente Panvel como protagonistas dos vídeos. Com o conceito "A beleza está nos detalhes", o comercial busca mostrar que a beleza tem muitas faces.
GLOBAL coloca nas ruas, a partir de hoje, e em âmbito nacional, a campanha de Outono-Inverno 2018 criada para o cliente Ramarim. Agência criou o conceito Total Comfort e planejou a estratégia de divulgação de mídia externa.

PARCEIROS

INVENTO CASA Criativa e Casa da Janela criaram e produziram o filme de um minuto que a Coca-Cola Shoes começou a exibir em cinco países da América Latina. O filme busca traduzir o clima de um show de rua. Em um cenário que representa um muro com as cores e logo da marca, o cantor Luan Santana se apresenta e interage com a modelo Bruna Schwartz. 
AGROEFFECTIVE Comunicação e Agronegócio, agência de comunicação voltada ao agronegócio, comemora quatro anos agora em março com uma campanha direcionada aos clientes e parceiros. Intitulada "Contamos as Histórias Deles, Eles Constroem a Nossa", quer homenagear os que confiam no trabalho realizado pela assessoria. Comandada pelos jornalistas Nestor Tipa Júnior e Rejane Costa, tem entre seus clientes a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (Abccc), Conexão Delta G, Falker, Fecoagro, Federarroz e Trajano Silva Remates.

GENTE

Alexandre Assumpção. crédito Coletiva.net - Divulgação

Alexandre Assumpção. crédito Coletiva.net - Divulgação


/COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
O publicitário Alexandre Assumpção iniciou um projeto de consultoria na Happy House Brasil que visa estudar o impacto do trabalho criativo no resultado financeiro da empresa. Assumpção, ex-Moove, contou ao Coletiva.net que não assume uma função convencional, mas oferece uma consultoria que detecte as melhorias que podem ser feitas na gestão por meio de sua experiência com Criação. A Happy, comandada por Analisa Brum, está ampliando suas ações, e tem agora um novo cliente em Lisboa.

TÁ LIGADO

O Núcleo de UX (User Experience) da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-RS) programou duas atividades nesta semana. Hoje, das 18h30 às 20h30, promoverá um debate sobre transformação digital, com a participação do publicitário Alfredo Fedrizzi. Na quinta, fará encontro com a participação da diretora estadual da Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom), Beti Sefrin. Para mais informações sobre ambas, o endereço é nucleodeuxdaassespro.eventize.com.br.

PERFIL

O perfil publicado nesta semana por Coletiva.net é do jornalista Geraldo Hasse.

O perfil publicado nesta semana por Coletiva.net é do jornalista Geraldo Hasse.


COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC

 

BY THE WAY...

... dom Irno tem certeza de que haverá uma verdadeira carnificina de fake news nas campanhas políticas para o pleito de outubro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia