Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Internacional

Notícia da edição impressa de 09/03/2018. Alterada em 08/03 às 20h54min

Audi quer fazer do novo A6 referência em sedã executivo de luxo

No Brasil, o modelo deve desembarcar entre o final deste ano e o começo de 2019

No Brasil, o modelo deve desembarcar entre o final deste ano e o começo de 2019


AUDI/DIVULGAÇÃO/JC
O modelo estreará mundialmente no mercado alemão em junho deste ano. Assim como o A8 e o A7 Sportback, o A6 incorpora a nova linguagem de design da Audi, caracterizada por superfícies amplas e ângulos afiados, criando proporções equilibradas.
O interior do sedã ficou maior do que o da geração anterior, com ganhos especialmente para as pernas dos passageiros traseiros. O espaço para a cabeça e para os ombros na dianteira e na traseira também é superior.
A cabine apresenta revestimentos inteiramente escuros. A elegância discreta do painel de instrumentos contrasta com o chamativo quadro de instrumentos digital da Audi: o Cockpit Virtual.
A digitalização também se faz presente no sistema multimídia MMI. Sensível ao toque, o recurso estabelece novos padrões em termos de operação intuitiva e personalização. Até sete motoristas podem armazenar suas configurações em perfis de usuários individuais, customizando até 400 parâmetros.
A eletrônica embarcada aparece com força também na assistência ao motorista, que trabalha com cinco radares, cinco câmeras, 12 sensores e um scanner a laser. O novo A6 conta com dispositivo autônomo de manobra para vagas de estacionamento ou garagens. O motorista pode inclusive sair do carro durante a operação e monitorar tudo por um aplicativo de smartphone.
Já o controle de cruzeiro adaptativo agrega novas funções. Além de monitorar e manter velocidade e distância de veículos à frente e frear automaticamente, o sistema age no volante para manter o A6 na pista e, ainda, ajuda o condutor a dirigir de forma mais segura e eficiente.
Os dois motores turbo disponíveis para o novo A6, um a gasolina, outro a diesel, vêm com a nova tecnologia híbrida leve da Audi. Uma partida de alternador de correia funciona em conjunto a uma bateria de íons de lítio. Desse modo, o carro consegue rodar com o propulsor desligado entre 55 km/h e 160 km/h. A redução no consumo de combustível pode chegar até 0,7 litro a cada 100 quilômetros rodados.
O motor a gasolina é um 3.0 litros V6 TFSI de 340 cv de potência e 500 Nm de torque; também de 3.0 litros, a unidade a diesel, TDI, gera 286 cv e 620 Nm de torque. O primeiro vem acoplado a um câmbio automático de dupla embreagem com oito marchas; enquanto o segundo, a uma transmissão de sete marchas, sempre com tração integral.
A suspensão, construída com peças em alumínio, e a direção foram recalibradas para melhor dirigibilidade e, ao mesmo tempo, conforto. A relação da direção torna-se mais direta conforme a velocidade do veículo aumenta. Já um novo conceito de amortecimento transmite respostas mais precisas. A Audi afirma que o novo A6 será fácil de manobrar na cidade, ágil em pisos irregulares e equilibrado nas rodovias.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia