Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Segurança pública

Alterada em 20/02 às 23h16min

"O governo é paspalhão e a intervenção é tabajara", diz senador petista

O líder da minoria no Senado, senador Humberto Costa (PT-PE), criticou nesta terça-feira (20), o decreto de intervenção federal no Rio de Janeiro, editado pelo governo Michel Temer, e que está sendo apreciado no plenário do Senado. "Esse é um governo paspalhão e essa é uma intervenção tabajara. Mesmo aqueles que são a favor (da intervenção), deveriam estar cobrando o que justifica essa intervenção. Se der errado, nós vamos recorrer a quem? Ao papa? Duvido que façam isso no bairro Leblon, onde se vende maconha e cocaína livremente. Os generais dessa intervenção foram dois conhecidos marqueteiros", disse Costa.
Por se tratar de um decreto presidencial, a intervenção já está em vigência desde sexta-feira, quando a medida foi assinada pelo presidente Michel Temer. Cabe aos parlamentares apenas dizer se aceitam ou não a decisão, sem ter o direito de fazer modificações no mérito da proposta.
A medida terá validade até 31 de dezembro. Enquanto estiver em vigor, o general Walter Braga Netto, do Comando Militar do Leste, será o interventor no Estado e terá o comando dos aparelhos de segurança do Rio, como as Polícias Civil e Militar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia