Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 01/03/2018. Alterada em 28/02 às 22h53min

Conselho Federal define regras para 'Uber da Medicina'

O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou ontem uma resolução sobre as regras que os aplicativos que conectam pacientes a médicos para consultas domiciliares, conhecidos como "Uber da Medicina", deverão seguir.
De acordo com o órgão, empresas que controlam os aplicativos deverão, entre outras obrigações, realizar inscrição no Conselho Regional de Medicina do estado onde atuam, ter um diretor técnico médico e arquivar prontuários. Além disso, os aplicativos só poderão oferecer o serviço de especialistas com comprovada formação na área.
Segundo o CFM, o principal aplicativo de consultas domiciliares do País tem 2,7 mil médicos cadastrados e faz mil atendimentos por mês.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia