Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transportes

22/02/2018 - 13h39min. Alterada em 22/02 às 13h58min

Trensurb gasta R$ 277 mil com danos de vandalismos em dois anos

Três trens que atenderam à operação especial na madrugada da quinta-feira (22) tiveram depredações

Três trens que atenderam à operação especial na madrugada da quinta-feira (22) tiveram depredações


CLAITON DORNELLES /JC
Após a vitória do Grêmio no jogo que garantiu o título de bicampeão da Recopa, três trens da empresa Trensurb que atendiam a operação especial na madrugada desta quinta-feira (22) sofreram depredação, conforme a empresa. Os veículos circulavam nos dois sentidos – Porto Alegre e Novo Hamburgo.
Com isso, deve aumentar a conta da estatal para consertar os estragos com depredações que chegou a R$ 277,3 mil em dois anos. Em 2016, foram 215 ocorrências, com custo de R$ 84,3 mil com manutenção. Em 2017, a Trensurb afirma que depredações envolveram R$ 59 mil em reparos nos trens e mais R$ 134 mil nas estações, totalizando R$ 193 mil. 
De acordo com a Trensurb, luminárias foram quebradas, um monitor de TV danificado no trem 105, extintores furtados, sendo que um dos aparelhos foi utilizado indevidamente no interior de um dos trens. O prejuízo co o vandalismo ainda está sendo contabilizado.
“O maior prejuízo é para os usuários que utilizaram o serviço logo no primeiro horário da manhã e se depararam com o transporte ainda sem os devidos reparos”, afirmou a empresa em nota. A estatal fez a manutenção ainda nesta quinta-feira.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia