Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

28/02/2018 - 21h00min. Alterada em 28/02 às 20h59min

Bolsas de Nova Iorque caem e interrompem série de 10 meses de ganhos

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em queda pela segunda sessão seguida nesta quarta-feira, 28, interrompendo uma série de dez meses de ganhos, ao passo em que os investidores avaliam o impacto de uma política monetária mais apertada no país.
As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em queda pela segunda sessão seguida nesta quarta-feira, 28, interrompendo uma série de dez meses de ganhos, ao passo em que os investidores avaliam o impacto de uma política monetária mais apertada no país.
O índice Dow Jones fechou em queda de 1,50%, aos 25.029,20 pontos; O S&P 500 recuou 1,11%, para 2.713,83 pontos; e o Nasdaq caiu 0,78%, para 7.273,01 pontos. No mês, o Dow Jones despencou 4,28%; o S&P caiu 1,87%; e o Nasdaq perdeu 3,89%.
Apesar de várias bolsas ao redor do mundo terem se recuperado em parte das perdas que levaram o índice Dow Jones e o S&P 500 a entrarem em território de contração no começo do mês, fevereiro foi o pior mês em pelo menos um ano para vários índices.
Alguns investidores veem os declínios como oportunidades de compra, diante dos balanços corporativos relativamente sólidos. Outros, no entanto, não estão tão certos quanto a isso, em meio a temores de que o aumento da inflação nos EUA estimule bancos centrais a apertar a política monetária mais rápido do que se imaginava.
As bolsas verificaram um leve impulso em Nova Iorque minutos depois da abertura, após dados do governo mostrarem que o crescimento econômico dos EUA foi revisado para baixo no último trimestre do ano passado, em linha com o que os economistas esperavam.
A revisão aconteceu depois de o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Jerome Powell, dar uma avaliação otimista sobre a economia, nessa terça-feira, impulsionando os juros dos Treasuries. Alguns analistas acreditam que o mandato de Powell será marcado por incertezas.
Hoje, entre as ações individuais, a Amazon subiu menos de 0,1% após dizer que comprou a Ring em um acordo de mais de US$ 1 bilhão.
O setor de energia foi o que apresentou o pior resultado no S&P 500 nesta quarta-feira, recuando 2,29%, com a pressão do declínio dos preços do petróleo diante do aumento dos estoques da commodity nos EUA. A ExxonMobil viu seus papéis caírem 2,27%, enquanto a Chevron recuou 1,49%.