Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

siderurgia

27/02/2018 - 20h21min. Alterada em 27/02 às 20h21min

Brasil poderá recorrer caso os EUA imponham barreiras à importação de aço

Agência Brasil
O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, disse hoje (27) que, caso os Estados Unidos imponham barreiras à importação de aço, o Brasil poderá recorrer da decisão. O anúncio veio após reunião de Jorge com o secretário de Comércio norte-americano Wilbur Ross nesta terça-feira em Washington. Segundo o ministro, Ross se comprometeu a levar as demandas brasileiras ao presidente Donald Trump.
O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, disse hoje (27) que, caso os Estados Unidos imponham barreiras à importação de aço, o Brasil poderá recorrer da decisão. O anúncio veio após reunião de Jorge com o secretário de Comércio norte-americano Wilbur Ross nesta terça-feira em Washington. Segundo o ministro, Ross se comprometeu a levar as demandas brasileiras ao presidente Donald Trump.
No último dia 16 de fevereiro, o Departamento de Comércio americano divulgou um relatório em que dizia que as importações de aço e de alumínio ameaçavam a segurança nacional dos Estados Unidos. O documento sugere que o país aumente as tarifas ou imponha cotas para importação de aço. A decisão da Casa Branca deve sair até o dia 11 de abril. "Após essa publicação, caso haja sanção que envolva o nosso país, haverá um prazo para recursos, onde prazo serão considerados pedidos de reanálise para a exclusão de países eventualmente afetados pela medida", afirmou o ministro brasileiro.
Durante sua viagem aos EUA, ele se reuniu também com membros do Conselho das Américas e com representantes da Câmara de Comércio dos Estados Unidos, com os quais tratou de temas como a expansão da cooperação do programa Patent Prosecution Highway (PPH), que prevê a cooperação entre o Brasil e os EUA no exame de patentes entre os escritórios de patentes dos dois países. O tema também foi tratado durante a reunião de Marcos Jorge com o secretário Wilbur Ross.