Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Notícia da edição impressa de 15/02/2018. Alterada em 15/02 às 00h48min

Horário de verão termina no domingo em três regiões do País

Os dias com luz do sol por um período mais prolongado chegam ao fim após quatro meses do horário especial

Os dias com luz do sol por um período mais prolongado chegam ao fim após quatro meses do horário especial


/MARCO QUINTANA/JC
Moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão atrasar seu relógio em uma hora, a partir da 0h do próximo domingo (18), quando encerra o período de horário de verão 2017/2018, que entrou em vigor desde 15 de outubro e que tem como finalidade reduzir o consumo de energia elétrica entre 18h e 21h.
Além do Distrito Federal, 10 estados precisarão adaptar seus ponteiros: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo. A população do Norte e do Nordeste não é afetada porque os estados da região não são incluídos no horário de verão.
Segundo balanço do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em 2013 o Brasil, com essa providência, economizou R$ 405 milhões, ou 2.565 megawatts (MW). No ano seguinte, essa economia baixou para R$ 278 milhões (2.035 MW) e, em 2015 caiu ainda mais, para R$ 162 milhões. Em 2016, o valor sofreu nova queda, para R$ 147,5 milhões.
Essa menor influência observada pode ser explicada pelo fato de parcelas significativas das zonas sujeitas à medida têm intensificado o uso de equipamentos como o ar-condicionado, como forma de aplacar o calor, elevando a demanda pela energia elétrica. Ainda que já dispensem as lâmpadas incandescentes, substituindo-as por modelos mais econômicos.
No final do ano passado, o governo federal sinalizou para a possibilidade de abolir o horário de verão, por não haver consenso quanto à relação com a economia de energia elétrica. Apesar disso, acabou apenas abreviando o período 2018/2019 em duas semanas, a pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para facilitar a apuração dos votos das eleições. Com isso, o horário de verão de 2018 passará a ser adotado no primeiro domingo de novembro.
"A avaliação dos atuais impactos na redução do consumo e da demanda de energia elétrica, contida nos estudos realizados neste ano de 2017 pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) em conjunto com o Ministério de Minas e Energia (MME), mostra que a adoção do horário de verão traz atualmente resultados próximos da neutralidade para o sistema elétrico", escreveu o ministério em nota, em outubro do ano passado.

Leilão A-6 deve sair entre maio e agosto deste ano

O Ministério de Minas e Energia (MME) autorizou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a promover Leilão A-6, para compra de energia elétrica proveniente de novos empreendimentos de geração, no segundo quadrimestre de 2018 (de maio a agosto). A determinação consta de portaria publicada na edição de ontem do Diário Oficial da União (DOU).
Pelo ato, os agentes de distribuição deverão apresentar as declarações de necessidade de compra de energia elétrica para o leilão até 23 de fevereiro de 2018, na forma e modelo a serem disponibilizados na página do MME. Essas declarações devem considerar o atendimento à totalidade do mercado, com início de suprimento de energia elétrica a partir de 1 de janeiro de 2024.
 

MME recebe sugestões para o biodiesel

O Ministério de Minas e Energia (MME) abriu consulta pública de 45 dias para discutir o aperfeiçoamento das diretrizes específicas dos leilões de biodiesel, nesta quarta-feira, 14, editadas na Portaria MME nº 476, de 15 de agosto de 2012.
O aviso da consulta foi publicado no Diário Oficial da União (DOU). Os detalhes para o envio das contribuições podem ser obtidos no site do MME, no canal de consultas públicas.

Ministério fixa diretrizes para Luz para Todos

O Ministério de Minas e Energia estabeleceu no Diário Oficial da União (DOU) diretrizes específicas sobre a atuação da Eletronorte, do Grupo Eletrobras, no Programa Luz para Todos no estado do Amapá.
Pela portaria, a Eletronorte fica autorizada a continuar exercendo as funções de agente executor do programa no estado. No entanto, deverá ser pactuado novo termo de compromisso entre MME e a Eletronorte, com a interveniência da Companhia de Eletricidade do Amapá, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), da Eletrobras e da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia