Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Conjuntura

Alterada em 01/02 às 09h01min

Confiança empresarial sobe 1,5 ponto em janeiro ante dezembro, revela FGV

Índice alcançou 94,9 pontos nesta quinta-feira (1) e atingiu maior nível desde 2014

Índice alcançou 94,9 pontos nesta quinta-feira (1) e atingiu maior nível desde 2014


Petrobras/Divulgação/JC
O Índice de Confiança Empresarial (ICE) avançou 1,5 ponto em janeiro de 2018 ante dezembro de 2017, alcançando 94,9 pontos, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) na manhã desta quinta-feira (1). Após a sétima alta consecutiva, o índice alcançou o maior nível desde abril de 2014, quando estava em 95,5 pontos.
"A confiança empresarial inicia o ano em alta e com sinais favoráveis à continuidade da recuperação da economia brasileira. Há expressiva disseminação setorial da alta e melhora das avaliações sobre a situação atual. Do ponto de vista das expectativas, destacam-se as melhores perspectivas para contratações, com destaque para o retardatário setor da Construção, que ainda não está contratando mas já tende à estabilização do total pessoal ocupado", avaliou Aloisio Campelo Junior, superintendente de Estatísticas Públicas do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.
O Índice de Confiança Empresarial reúne os dados das sondagens da Indústria de Transformação, Serviços, Comércio e Construção. O cálculo leva em conta os pesos proporcionais à participação na economia dos setores investigados, com base em informações extraídas das pesquisas estruturais anuais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a FGV, o objetivo é que ICE permita uma avaliação mais consistente sobre o ritmo da atividade econômica.
Em janeiro, o Índice da Situação Atual (ISA-E) subiu 0,8 ponto, para 88,7 pontos, maior nível desde agosto de 2014. Já o Índice de Expectativas (IE-E) avançou 0,2 ponto, para 99,5 pontos, o patamar mais elevado desde dezembro de 2013.
A confiança empresarial avançou em três dos quatro setores que integram o ICE. A maior contribuição para a alta do índice em janeiro foi do setor de Serviços (1,2 ponto) seguida pelos setores da Construção (0,2 ponto) e Comércio (0,1 ponto). A confiança industrial ficou estável no mês.
Houve melhora na confiança em 76% dos 49 segmentos pesquisados no primeiro mês do ano. A coleta do Índice de Confiança Empresarial reuniu informações de 4.946 empresas dos quatro setores entre os dias 2 e 26 de janeiro.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia