Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 01/03/2018. Alterada em 01/03 às 11h00min

Turismo

Lamentável como as autoridades municipais e do turismo estadual tratam os corajosos turistas-veranistas que se deslocam para as praias gaúchas "todas" e algumas cidades da Serra, lindas, mas abandonadas. Basta ver as estradas. Ruas, avenidas e acessos aos locais de lazer, de banho ou campings são uma vergonha, demonstrando a incapacidade administrativa e de planejamento dos órgãos responsáveis. No caso de Capão da Canoa, como frisou o colunista Fernando Albrecht, na sua página no Jornal do Comércio. Quase todas as praias têm sérios problemas de trânsito, estacionamento, acessos ruins e mal sinalizados. Por isso é que muitos turistas e veranistas preferem as praias de Santa Catarina e até do Uruguai, que oferecem muito mais conforto e segurança. (Ramiro Nunes de Almeida Filho, Porto Alegre)
Intervenção
No Brasil temos sempre alguém que manda contra tudo e todos que estão no governo. Agora, a intervenção militar na Segurança Pública do Rio de Janeiro "é o início de uma nova ditadura..." Que viés tacanho. Não são eles, os críticos, que estão lá, sofrendo com a gurizada - adolescentes, sim - armada até os dentes, com armas mais do que potentes e, segundo piada, de uso exclusivo dos delinquentes, não das Forças Armadas... Claro que o problema é mais amplo. É preciso a permanência de serviços públicos nas comunidades carentes dos morros cariocas. Mas, isso, hoje, só pode ser feito se as "facções" de criminosos deixarem... Tem ou não tem que intervir, então? (Júlio Mascarenhas, Porto Alegre)
Privatizações
O prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) anunciou, novamente, que deseja se desfazer de empresas públicas deficitárias. Pelos números divulgados no Jornal do Comércio, na reportagem Marchezan quer de Carris e Fasc e vender Procempa, as empresas dão prejuízos bem altos e que, se revertidos, dariam para pagar, com sobra, uma folha mensal da prefeitura de Porto Alegre. (Eunice Tavares Groebels, Porto Alegre)
IPTU
A arrecadação de impostos e contribuições federais de 10,12% acima da inflação em janeiro é mais uma prova inconteste de que a inflação de 2,95% de 2017 foi manipulada para baixo. O governo mente na inflação, e com isto não tem que dar aumentos maiores de salários. A indexação da lei do Teto de Gastos também fica menor, enquanto que a arrecadação, devido à inflação real maior, sobe e alivia as contas federais. A população deve ficar atenta a governos municipais que queiram aumentar impostos disfarçadamente, como é o caso da revisão da planta do IPTU de Porto Alegre, pois já está perdendo com a inflação maquiada (não repassada), além da não atualização da tabela de IR sobre salários. (Rafael Alberti Cesa, Caxias do Sul/RS)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia