Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 01/03/2018. Alterada em 01/03 às 10h54min

As aparências enganam

JOSÉ PABLO ALZINA/DIVULGAÇÃO/JC
Esta imagem dos morros que circundam a Cidade do Cabo, na África do Sul, foi enviada pelo cônsul da Espanha, José Pablo Alzina. A beleza da vegetação é enganosa. Uma das maiores secas da história assola a região, obrigando a população a usar a água, literalmente, a conta-gotas. "É impressionante como se pode viver com pouca água", conta Alzina. O diplomata ocupou o consulado espanhol em Porto Alegre até o ano passado, deixando uma legião de amigos.

O mundo orgânico

A cultura do orgânico está se espraiando e é garantia de venda. Agora, são as grandes cervejarias que estão aderindo, já não se pode mais dizer que seja moda. Quem anunciou a cerveja feita com grãos orgânicos com pompa e circunstância em Chicago foi a Anheuser-Busch InBev. A única coisa que incomoda - pelo menos, no Brasil - é saber se realmente ele é o que o rótulo diz ser, até porque não há fiscalização que aguente.

Engajamento

A construção de uma política nacional de segurança pública começa a tomar forma. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, convidou o economista e ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga para colaborar com o governo na construção de uma ação empresarial pela segurança. Segundo ele, Fraga, sócio da Gávea Investimentos, fará um trabalho "voluntário" de congregar o setor privado na discussão do tema.

Pé no freio de um lado...

Uma nova situação nas pessoas físicas e jurídicas se consolidando com o fim da recessão e a retomada dos negócios em geral: continuar com o pé no freio. Menos pelas incertezas políticas agravadas pelo ano eleitoral e mais pelo fato de que a gastança dos tempos de pleno crescimento derrubou a poupança. Desdenharam o famoso colchão de liquidez. Digamos que, em parte, o Brasil de hoje é um país de precavidos.

...ou mudança de país

Muitas empresas que cortaram custos durante os três últimos anos conseguiram fazer esta poupança, e gostaram da ideia de ter empresa mais enxuta até o limite da resistência da corda espichada. Outras, como na serra gaúcha, estão abrindo filiais ou se transferindo para o Paraguai, onde os impostos são muito baixos e, em alguns casos, inexistentes. O risco de lá é o mesmo do de cá.

A boa e a má

Março, diferente dos últimos quatro meses, não deve ter o registro de temporais de intensidade suficiente para comprometer a infraestrutura de municípios localizados nas áreas de concessão da RGE e da RGE Sul. De acordo com um estudo mensal adquirido junto a um instituto privado de meteorologia, o tempo seco e firme deve predominar no Rio Grande do Sul. A má notícia é a falta de chuvas abundantes para o campo.

Voto aberto...

Durante uma hora, o presidente da Tramontina, Clovis Tramontina, e o CEO da Lojas Renner, José Galló, protagonizaram um talk show. Os dois empresários fizeram perguntas um ao outro sobre gestão, empreendedorismo e conjuntura. Ao falar da situação difícil do Rio Grande do Sul, Tramontina lembrou que o Estado nunca reelegeu governador. E fez uma sugestão: "acho que está na hora de mudar e reeleger o (José Ivo) Sartori (PMDB)".

...e o Legislativo

Galló observou que muitas reformas importantes dependem do Legislativo - no caso gaúcho, a Assembleia. E defendeu o voto consciente para melhorar a situação nas próximas eleições, especialmente a de presidente, que é "o grande CEO do País". O encontro de Tramontina e Galló foi promovido pelo Jornal do Comércio e ocorreu ontem no Teatro da Unisinos. Matéria nesta edição.

Vive La France!

O BRDE e a Agence Française de Développement (AFD) assinam hoje, no Palácio Piratini, um contrato de crédito no valor de ¤ 50 milhões para financiar projetos de impacto positivo sobre o meio ambiente e o clima. Prestigiará o ato o embaixador da França, Michel Miraillet.

Sem plano

Citado em investigação da Lava Jato, o ex-governador baiano Jaques Wagner era o plano B do PT caso o Lula não possa concorrer a presidente da República. Talvez fosse o caso de um plano C.

O desenterro do sapo

Reina grande expectativa com relação às obras do Cais Mauá. A torcida é para que os contras não coloquem mais empecilhos e para que, finalmente, tenha sido desenterrado o último dos sapos gigantes da região. A ordem do início das obras será assinada hoje. Em se tratando de Porto Alegre, sabe-se lá se foi mesmo o último.

Miúdas

  • TODOS os anos jogamos um Brasil fora, seja por corrupção, ineficiência ou má gestão. Às vezes, os três juntos.
  • EM sã consciência, quem teria a coragem de ciceronear um turista no Centro de Porto Alegre?
  • COM as mudanças no algoritmo que restringe o número de leitores, o Face perdeu muitos usuários. Tiro no pé.
  • NEVE em cidades litorâneas do Mediterrâneo é pra matar. Onda de frio de um lado, seca do outro...

Finais

  • EVENTO cultural Sesc Mulher, em alusão ao Dia Internacional da Mulher, será no dia 8 de março.
  • ASSOCIAÇÃO Brasileira de Angus doou R$ 22 mil arrecadado em leilão para o Hospital Santa Rita da Santa Casa de Porto Alegre.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Carlos Alberto 01/03/2018 10h42min
Prezado Albrecht, bom dia.Desculpe me utilizar da sua coluna. Mas tem um assunto intrigando e como Jornalista pode obter mais detalhes. Estão publicando notas em Jornais cobrando o imposto sindical. Mas pela nova Lei não ficou opcional ? E a cobrança é bem insistente e ameaçadora. Afinal como ficamos? Pode ver se consegues informações mais esclarecedoras. Grato. Abs.