Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 08 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

Notícia da edição impressa de 09/01/2018. Alterada em 08/01 às 22h21min

Assessora da Corte gera polêmica ao pedir prisão de petista

Uma postagem no Facebook da servidora Daniela Tagliari Kreling Lau, chefe de gabinete da presidência do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), levou petistas a contestarem a imparcialidade da corte para julgar o recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 24, contra sentença do juiz Sérgio Moro no caso do triplex do Guarujá. O petista foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a nove anos e meio de prisão.
Na quarta-feira passada, Daniela publicou em sua página uma petição on-line para coletar assinaturas em apoio a condenação e a prisão do ex-presidente. Petistas reagiram nas redes sociais. A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), foi ao Twitter questionar a atitude da servidora: "Perseguição e ativismo político contra Lula dentro do TRF-4!", escreveu a senadora.
O senador Lindbergh Farias fez coro: "A chefe de gabinete do presidente pedir a prisão de Lula nas redes é um escândalo que compromete a parcialidade do julgamento!".
Em nota, o presidente do TRF--4, Carlos Eduardo Thompson Flores, afirmou que a servidora exerceu o direito de se manifestar como "cidadã e em caráter particular". Segundo o tribunal, Daniela é servidora concursada com 24 anos de carreira na Corte e nunca atuou na área judicial ou em julgamentos de processos.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia