Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Iraque

Notícia da edição impressa de 16/01/2018. Alterada em 15/01 às 22h36min

Homens-bomba em Bagdá deixam pelo menos 38 mortos

Dois homens-bomba atacaram um mercado no Centro de Bagdá nesta segunda-feira e deixaram ao menos 38 mortos. O ataque foi o mais mortal desde que o Iraque declarou vitória sobre o Estado Islâmico (EI), em dezembro.
As explosões ocorreram apenas dois dias depois de outro homem-bomba atacar uma base policial no Norte de Bagdá, matando oito pessoas. Nenhum grupo terrorista assumiu responsabilidade pelos ataques.
"Dois suicidas se detonaram na praça Al Tayaran, no Centro de Bagdá", anunciou o porta-voz do comando conjunto de operações iraquiano, general Saad Maan. A praça é uma importante área comercial de Bagdá e um ponto de encontro para os trabalhadores que se reúnem ali desde o início do dia em busca de oportunidades. O local já foi alvo de ataques, muitos deles letais, em diferentes ocasiões.
Várias ambulâncias chegaram ao local do atentado, para onde foi mobilizado um forte dispositivo de segurança. Em dezembro, o Iraque anunciou o "fim da guerra" contra o EI, expulso da região de Bagdá e do conjunto das zonas urbanas e habitadas que controlava no país. Ainda há, porém, células extremistas ativas ao Norte da capital iraquiana.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia