Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 15/01 às 08h27min

'Não sou racista', diz Trump, após ofensa a África e Haiti

Presidente dos EUA recebeu críticas após comentário ofensivo contra países africanos e o Haiti

Presidente dos EUA recebeu críticas após comentário ofensivo contra países africanos e o Haiti


MANDEL NGAN/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reagiu na noite deste domingo (14) às críticas que recebeu após o comentário ofensivo contra países africanos e o Haiti, feito na sexta-feira (12) na Casa Branca. "Eu não sou racista", disse ontem o líder americano a repórteres em uma rápida entrevista antes de um encontro com um deputado republicano em Palm Beach, na Flórida. "Eu sou a pessoa menos racista que você já entrevistou. Isso eu posso te dizer", afirmou Trump, ao ser questionado sobre o que achava das pessoas que o consideram racista.
Durante reunião com um grupo de seis senadores na Casa Branca, na sexta, o presidente americano afirmou que o país deveria diminuir o fluxo migratório de "países de m...", em meio a uma discussão sobre a legislação específica para nativos de nações africanas e do Haiti. Trump ainda afirmou que os Estados Unidos deveriam incentivar a entrada de pessoas com origem em países como a Noruega.
Desde então, Trump enfrenta severas críticas por causa do comentário. Mesmo políticos republicanos condenaram a postura do presidente. O uso da frase foi revelado por dois dos senadores que participaram da reunião - um democrata, outro republicano. Ontem, no entanto, um terceiro parlamentar que participou do encontro afirmou que houve uma "grosseria má interpretação" do comentário.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia