Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 07 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Peru

Notícia da edição impressa de 08/01/2018. Alterada em 07/01 às 22h23min

Fujimori pede união após receber indulto presidencial

Após receber polêmico indulto presidencial e sair da prisão, o ex-presidente do Peru Alberto Fujimori, 79 anos, afirmou que deseja um país "sem rancores" e pediu à população que coloque as divergências de lado e se una contra a violência e o crime.
Em sua primeira declaração depois de ser liberado do hospital por problemas de pressão e de coração, na quinta-feira passada, Fujimori usou as redes sociais para refletir sobre o novo capítulo de sua vida, após passar uma década na prisão por corrupção e crimes contra os direitos humanos.
"Estou constantemente tomado por sonhos e quero compartilhá-los", disse o ex-presidente. "Estaremos em um país em que a segurança será reconquistada e a violência, eliminada. Só poderemos alcançar esses objetivos quando colocarmos de lado nossos interesses e oportunismos. Unidos, nós conseguiremos."
O indulto concedido pelo presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski, provocou protestos em todo o país. Manifestantes contrários à libertação de Fujimori pedem que ele cumpra todos os 25 anos de prisão a que foi condenado.
As declarações foram os primeiros sinais de que Fujimori pode ter um papel mais ativo na política peruana. Ele deve apoiar o presidente Kuczynski após uma série de turbulências políticas que abalaram o seu governo de centro-direita. "Desejo um Peru sem rancores, com todos trabalhando por um objetivo superior", completou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia