Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 07 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 08/01/2018. Alterada em 07/01 às 20h49min

Trump chama livro que o critica de 'fake book'

Obra polêmica esgotou rapidamente nas livrarias norte-americanas

Obra polêmica esgotou rapidamente nas livrarias norte-americanas


/JUSTIN SULLIVAN/AFP/JC
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse em seu perfil no Twitter que o livro "Fogo e Fúria: por dentro da Casa Branca" (em tradução livre), do jornalista Michael Wolff, é um "fake book" (livro falso, na tradução para o português). O livro vem gerando polêmica por apresentar Trump como um político que não entende bem o peso de seu cargo e mencionar preocupações de conselheiros da Casa Branca de que ele não seria apto à presidência.
"Tive de tolerar notícias falsas desde o primeiro dia em que anunciei que me candidataria à presidência. Agora tenho de tolerar um livro falso, escrito por um autor totalmente desacreditado. Ronald Reagan teve o mesmo problema e lidou bem com a situação. Eu também lidarei", disse Trump pela rede social.
O presidente dos EUA também elogiou a entrevista dada pelo assessor da Casa Branca Stephen Miller à rede de televisão CNN, na qual Miller descreveu o livro como "nada além de uma pilha de lixo completa". Ele também criticou seu anterior chefe de estratégia, Steve Bannon, citado por Wolff no livro, afirmando que Bannon fez comentários "grotescos tão desconectados da realidade e obviamente vingativos". Antes, Trump havia publicado na rede social que é um "gênio muito estável" e "realmente inteligente", resposta a citações no livro.
Na entrevista ao programa "State of the Union", Miller criticou também a cobertura da CNN sobre o caso e foi pressionado pelo moderador Jake Tapper a responder às perguntas. Tapper terminou a entrevista abruptamente. "Acho que já tomei tempo demais dos meus telespectadores."
Michael Wolff frequentou a Casa Branca durante o primeiro ano de mandato de Trump e se reuniu com pelo menos uma dúzia de funcionários da administração. O autor disse que os assessores da Casa Branca estavam preocupados com "lapsos e repetições" do presidente.
 

Presidente diz estar aberto a conversas com Kim Jong-un

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse no sábado que está aberto a conversas com o líder norte-coreano, Kim Jong-un. Ele disse também esperar que algo positivo surja das próximas negociações entre as Coreias do Norte e do Sul.
As duas Coreias concordaram em discutir cooperação para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, que acontecem em fevereiro em Pyeongchang, na Coreia do Sul. As discussões, que devem envolver outros assuntos, estão marcadas para começar amanhã. Veículos de mídia japoneses disseram que a Coreia do Norte provavelmente participará dos Jogos.
Segundo Trump, as discussões são "um grande começo". Se algo surgir dessas conversas, "será ótimo para toda a humanidade", disse o presidente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia