Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 31 de janeiro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

transportes

31/01/2018 - 08h42min. Alterada em 01/02 às 00h11min

Passagem do Trensurb sobe para R$ 3,30 e quase dobra de preço a partir deste sábado

Valor da passagem em R$ 1,70 estava congelado desde janeiro de 2008

Valor da passagem em R$ 1,70 estava congelado desde janeiro de 2008


CLAITON DORNELLES /JC
Bruna Oliveira
Atualizada às 18h30min de 31/1/2018
A passagem do Trensurb estará quase o dobro mais cara a partir deste sábado (3). A tarifa passa dos atuais R$ 1,70 para R$ 3,30, após reajuste autorizado pelo governo federal. A linha do metrô liga Porto Alegre a cinco cidades da Região Metropolitana: Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Novo Hamburgo. 
A passagem estava congelada no valor atual desde 5 de janeiro de 2008. O aumento é de 94,1%, bem acima da inflação oficial do IPCA de fevereiro de 2008 a dezembro de 2017 - o índice de janeiro deste ano ainda não foi fechado-, que ficou em 79,02%, segundo o IBGE. O Sindimetrô/RS considerou o aumento "fora da realidade"
A empresa alega que as despesas nos últimos anos cresceram em função da expansão do sistema até Novo Hamburgo, aumentando os custos de funcionamento, operação e manutenção, incluindo os gastos com a energia elétrica de tração dos trens, que aumentaram mais de 100% de 2007 a 2017.
O Governo Federal, como medida de contenção do déficit público, destinou, através de Lei Orçamentária aprovada pelo Congresso Nacional, metade dos recursos de custeio que seriam necessários para o funcionamento da Trensurb em 2018. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia